PERGUNTE AO PSICÓLOGO


Espaço para esclarecimento e direcionamento em relação a transtornos, fatores emocionais, tratamentos e relacionamentos.

Deixe a sua pergunta na Caixa de Perguntas. Análises de casos não são possíveis e nem diagnósticos. Apenas esclarecimentos que necessitem de uma resposta especializada.

Pergunte na caixa de perguntas localizadas no fim desta página.

PARA QUE SEU COMENTÁRIO NÃO SEJA EXCLUÍDO, LEIA ANTES AS REGRAS PARA POSTAGEM:

1 - Não consigo responder a todas as perguntas, se tiver interesse em assessoria psicológica envie um email para psicologo@marceloquirino.com com o título ASSESSORIA PSICOLÓGICA

2 - Se você enviar perguntas repetidas, eu não responderei a nenhuma delas. Tenha paciência, não reenvie a pergunta, nem avisos por nenhum canal. 

3 - As respostas não são diagnósticas e muito menos interpretativas. Apenas há a emissão de uma opinião com base no relatado para que se levantem hipóteses, reflexões e indicações. 

4 - Oculte nomes, lugares e fatos específicos que possam te identificar. Sua dúvida é passível de moderação e edição. Só envie perguntas de modo ANÔNIMO. Caso envie perguntas se identificando, sua pergunta será excluída. Portanto, selecione COMENTAR COMO ANÔNIMO abaixo da caixa de comentários. 

5 - Devido ao grande número de perguntas, é possível que a sua não seja respondida. O fato de postar a pergunta não implica obrigatoriedade de resposta. Gostaria muito de dar conta de todas, mas não é possível. Portanto, se há questões consideradas 'urgentes', sugiro que agende uma sessão com um profissional mais próximo de sua residência, ou envie uma pergunta de acordo com o item 1.

6 - Se você for um estudante de Psicologia, um psicoterapeuta, ou analisando/paciente, envie um email para psicologo@marceloquirino.com solicitando supervisão, pois não respondo perguntas de estudantes e ou pacientes em análise, caso tais condições sejam percebidas. 

7 - Dúvidas possíveis de serem respondidas o serão. Análises de casos não são possíveis por aqui, apenas questões que necessitem de uma resposta especializada. Às vezes, não há como te ajudar por aqui. Este espaço tem extrema limitação. 

8 - Para visualizar a sua resposta, clique nos links correspondentes abaixo:


416 comentários :

  1. Bom, vá lá saber o que se passa na cabeça de uma mulher...

    De qualquer forma, insista. Seja seguro, persista, converse, mostre quem você é de verdade, suas qualidades, suas sinceridades, mulheres prezam isso num homem.

    Visite este site aqui e leia tudo o que puder sobre relacionamentos, é de meu amigo Gitti:

    http://nao2nao1.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Marcelo. Sou uma adolescente de 14 anos, e a alguns meses ando extremamente triste e irritada por estar me descobrindo. Me sinto confusa por não conseguir classificar meus pensamentos e sentimentos, tudo que eu sei é que nunca consigo ter muita intimidade com alguém, por mais que eu goste de uma pessoa eu sempre acabo fugindo dela e me fechando. Isso não aconteceu apenas uma ou duas vezes, desde sempre perco pessoas especiais na minha vida por não conseguir deixar transparecer o que sinto. Quanto mais eu quero me aproximar de alguém, mais eu me fecho no meu próprio mundo. Gostaria de saber se devo ir em algum psicólogo ou não, pois tenho muitas inseguranças,ou se isso é apenas algum problema banal da adolescência. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Olá, perceba como você coloca a questão, essa é uma forma muito inadequada de as pessoas verem as questões psicológicas:

    "devo ir em algum psicólogo (...) ou se isso é apenas algum problema banal da adolescência"

    Percebe? Duas opções que se autoexcluem: IR ao psicólogo só se for problema grave ou NÃO IR porque faz parte da vida e é passageiro. Bom, em primeiro lugar, os problemas psíquicos podem se de fase e passageiro, mas nada impede que se procure um psicólogo. Em segundo lugar, as pessoas vêem a terapia como sendo necessidade de último caso grave quando há um problema, uma doença, típica de se tratar em psicólogo. Não necessariamente os problemas psicológicos são doenças mentais, entretanto, mesmo sem ser uma doença mental, você pode procurar um psicólogo. Ir ao psicólogo não é vergonha e nem sinal de doença mental e nem saída para último caso. Terapia é opção, modo de se encarar, navegar em si, etc.

    Você coloca a questão como só ir ao psicólogo se houver um problema psicológico. Mas você tm autonomia para dizer que gostaria de estar em terapia sem que isso signifique que voccê possui um transtorno psicológico.

    Esse tipo de postura psíquica tem explicações com as relações parentais. Minha visão é a psicanalítica. Se você for num psicólogo TCC talvez a abordagem seja mais pontual, sobre o problema em si.

    Já que você me aponta querer procurar um psicólogo, não vou me deter nas hipóteses. Procure um, você não tem nada a perder, a não ser que encontre um mal profissional.

    ResponderExcluir
  4. oi doutor sou masculino eu quando mais novo tive relasoes sexuais com outros meninos mas nunca fui o passivo senpre o ativo ta serto issso faz mais ou menos um um ano e antes disso eu tinha sonhos fazendo sexo com outos homens e agora tenho uma namorada faz 7 meses e aida tenho esses sonhos nao sei como ultimamente ando procurando videos porno de gays na internet e parece q isso me persegue quando saio de cassa com ela ou algem senpre um gay fica me olhando como passo fazer para me afastar desses sonhos e pensamentos perversos

    ResponderExcluir
  5. Ficaram confusos alguns dados que você tenta me passar.

    Agora você me faz uma pergunta sobre comose afastar de sonhos pensamentos perversos que talvez tenham profundas raízes inconscientes. Sonhos e pensamentos inconscientes podem representar um desejo, um receio, uma elaboração qualquer. Pode ser um desejopor relações sexuais, como pode ser pavor também esses sonhos. Se lirar deles é difícil. Bom seria terapia para olhar para eles e para você mesmo, assim, entenderá o que são.

    ResponderExcluir
  6. Dr Marcelo ultimamente ando sofrendo demais com reprovas do Detran,faço tudo certo e eles me reprovam por nada.Alguma dica pra quem passa por isso,para que tenha calma,pois é muita pressão.
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  7. Você provavelmente está sob muita ansiedade. Ansiedade desorgniza pensamento, movimentos motores, etc. Sugiro treinos simulados, conhecimento do local da prova, passeios na noite anterior, chocolate no dia da prova e pensamentos positivos no dia da própria prova. Vamos ver se funciona.

    ResponderExcluir
  8. olá, me chamo V tenho 29 anos um filho de 8 anos sou separada a mais de dois anos tive um casamento traumatico marcado por brigas por causa da bebida, foi um alivio para minha familia e meu filho o fim do casamento, meu filho passou por um tratamento psicologico e hoje esta muito bem ele é bem fechado não é muito de falar o que sente e por isso me preocupo muito com ele, além disso tenho um medo enorme de desagradar minha mae, sempre foi assim ela é tbem muito fechada não da muito espaço, não consigo conversar com ela, estou namorando a quase um ano com uma pessoa conhecida mas minha familia ainda não sabe, contei para meu filho a umas duas semanas de inicio ficou assustado mas depois me disse que aceitava pois gosta muito dessa pessoa q o trata como um filho agora meu maior medo e contar para ela pois não sei como vai reagir, teno muito medo da reação dela, nao seicomo falar com ela, sou uma pessoa independente tenho meu trabalho, minha casa, mas tenho esse medo. obrigada

    ResponderExcluir
  9. Medo de desagradar a mãe?!

    Vocês são duas pessoas diferentes, ou vive pra você ou pra ela.

    Faça a escolha.

    ResponderExcluir
  10. Conheci um rapaz e por anos mantivemos contato e nos apaixonamos.Tivemos outros relacionamentos nesse tempo e nunca nos esquecíamos. Finalmente ficamos juntos e foi um sonho se realizando, esperamos tanto por isso...
    Ele era muito ciumento. Entrei em um periodo de muito extress inclusive pelo comportamento dele, fiquei um tempo mal, com as ideias atrapalhadas,e acabei me atormentando por um segredo do passado e contei a ele q fiz programa durante alguns dias, há muitos anos. Eu era meio desmiolada, mudei e me ja tinha me arrependido do meu comportamento.Tentei argumentar com ele, mas ele é certinho. Ele ficou mal, chorou, ficou pensando se terminava ou não, só que me amava tanto que a dor de ficar sem mim incrivelmente era maior que a pior dor que ele sentiu,ouvindo isso. Morávamos juntos, mas não fomos mais felizes. Não conseguia ser o mesmo, mudou, era carinhoso antes, ficou seco e mal transavamos, dizia q sempre lembrava. Mas que um dia achava que ia parar de pensar, q esperava por isso. Cheguei a um limite, nosso relacionamento quase não existia. Mas ainda nos amavamos, suportavamos. Depois de um pessimo ano, acabei terminando, mesmo amando ele.
    Faz alguns meses e ele está com outra,mas sempre nos falamos, me liga direto, mandamos mensagens, e ele diz q me ama muito ainda, e que ta c ela p me esquecer, que não gosta dela de verdade, e disse esses dias que acha que nossa historia ainda nao acabou, insinuou que ainda temos uma chance.Tentou no inicio do termino ser mais duro,mas acho que não consegue se apegar a ela como em mim. Mesmo eu dando a entender que gostaria de voltar,a distancia tbm fez ele raciocinar melhor e pensa que nossa historia é de dificil solução, diz que no futuro isso ia fazer ele sofrer ainda, e eu tbm. Planejavamos nos casar, ter filhos..gora ele ta em cima do muro, mas já enrroscado em um relacionamento que vai ser complicado dele sair, mais nada é impossivel. Sofremos ainda,eu muito mais acho, pq estou sozinha, e me martirizo por ter feito coisa errada e ainda ter terminado com ele. Tem o que eu fazer ainda? o que posso argumentar? o que posso tentar? dar um gelo talvez faça ele botar a mao na conciencia?fiz isso uns dias dai ele ficou meio agoniado... Me da uma luz.Queria tentar uma nova abordagem...Nunca discuti as noias dele a respeito abertamente, tipo tirar os fantasmas do baú, como fazem os psicologos, será esse o caminho? tenho medo,mas tentaria. Ou acha que não tem solução e devo cortar o contato com ele? pois essa esperança me martiriza e não consigo tocar a vida.

    ResponderExcluir
  11. Dr. Marcelo gostaria de saber pq eu não consigo me interagir com as pessoas, se eu ficar com a pessoa sózinha não tenho assunto nenhum,mas nem qualquer assunto, por medo de falar besteira eda pessoa achar que eu sou boba. Tenho 48 anos, mas não consigo agir como tal.
    As vezes me sinto como uma criança, fico sempre em cima do muro não consigo expor minha opinião por medo de encrencas. E assim as pessoas não veem em mim o que elas procuram:amizade, confiança, força, dinamismo,entusiasmo enfim ..O que eu posso fazer Dr.?
    Desde já agradeço... Rosana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui está sua autoimagem:

      "eu sou boba"

      Por que você tem essa autoimagem? O que na sua relação familiar reforçou isso em você? Já está na hora de buscar meios de reforçar positivamente essa autoimagem. Procure interagir socialmente, mas faça uma lista de interações sociais em ordem crescente dificuldade e vá se relaciondo. No mais, procure um curso de teatro, um grupo religioso ou comunitário, terapia grupal, etc. Isso só muda pelo enfrentamento e não se recolhendo.

      Excluir
    2. Eu tive o mesmo problema que vc Rosana. Eu participei muito de teatro e como eu tbm estudava, sempre quando tinha trabalho na escola eu ficava bem ansiosa para poder superar isso. Ainda sou tímida, mas melhorei muito. Participar de trabalhos voluntários, fazer favor para as pessoas ajuda muito tbm, vc verá. Um grande abraço.

      Excluir
  12. Olá,

    Estou num relacionamento e acabo por terminar, mas estou muito angustiado e perturbado, pois , não sinto mais atração por ela, tenho vontade de conhecer outras pessoas...e até mesmo a vontade da intimidades acabaram, eu stou no Rio de Janeiro a trabalho e só ia para casa a cada 30 dias, ela sempre pedia para morar comigo e eu sempre inventava uma desculpa que não dava que futuramente eu ia dar um jeito , mas na verdade era pra ganhar tempo até arrumar uma pessoa em que realmente eu me apaixone, quando estou com ela nós so brigamos.
    Pois bem ela me ama muito e não quer terminar ...e eu não quero mais enganar e trair...Bom como disse terminamos mas tenho medo de estar sendo traido pelos meus sentimentos pois apesar de tudo que relatei, da vontade de estar livre, conhecer e ficar com outras mulheres agora que vejo que ela pode estar com outra pessoa me sinto angustiado, com medo de sofrer, lutando contra meus proprios sentimentos para não voltar...só depende de mim, então eu te pergunto .....esse medo de ela ter outra pessoa, de meu filho morar com outro homem, é um sentimento de posse ? , egoismo, ou eu a amo e não sei ?
    por favor pesso sua ajuda. O que devo fazer ...? isso é amor ? esse medo que estou agora de ela ter outro , de ela amar outro ? é amor ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é um sentimento de posse sim, mas isso em si não é o problema. O problema é o que você faz com isso.
      Agora quem sou eu ou quem é alguém para te dizer se isso é ou não amor? Dar a resposta dessa questão para outra pessoa é suicídio.
      Talvez seu medo seja: é amor ou apenas possessividade egoísta? Bom, o amor está mais para querer o bem-estar do outro e estar junto do outro. Se isso te responde parcialmente não sei, mas creio que você deve julgar se ama ou não.

      Excluir
  13. Olá, Doutor.
    Faz algum tempo que queria sua opinião...

    De alguns anos pra cá, sentimentos de indiferença e apatia têm tomado minha vida. Passei anos da minha infância e adolescência lutando contra fobias e depressão. Como qualquer pessoa nessa situação, eu me abalava facilmente e sentia tudo muito grande, tanto o bom quanto o ruim. Era tudo intenso, embora fosse uma vida que eu não desejasse ter em muitos momentos, eu sentia agir conforme era de mim, coisa do ''meu ser''.
    No entanto, faz algum tempo que tenho notado a ausência de sentido, não sinto vontade de nada, nem dos extremos como viver ou morrer, tanto faz. Vejo as coisas longe, bem longe, nada é capaz de me afetar tanto a ponto de mexer comigo de forma mais profunda, nada me desequilibra ou me engrandece. Enfim, doutor, a vida passa e eu não dou a minima. Tentei algumas coisas: cursos, aprender instrumentos, caminhar, conversar. Mas parece que fica pior, porque tenho a consciência que estou tentando ''driblar'' esse sentimento. Não sei o que eu sou, o que defender, vivo porque estou viva, porque nasci, mas não tenho por quem viver ou um motivo, não estou triste com isso. Percebe o quanto é deprimente minha situação? Sou uma morta viva, doutor.
    Sou incapaz de manter uma conversa por não saber o que eu acho realmente, minha mente vaga por cima de tudo e não se encaixa em nada, parecendo ser tudo ruim, tudo ridículo e digno de deboche.
    É como se me sentisse superior - mesmo sabendo que não sou- e olhando as pessoas embaixo se movimentarem como marionetes, só olhando.
    Se algo me emociona, o que é raro, eu penso: estou chorando por isso? e logo tudo vira cimento de novo e vou fazer qualquer outra coisa.
    Tem alguma solução para um caso de indiferença total com a vida? Ou só a morte?



    Obrigada desde já pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem um nível intelectual bom, uma boa introspecção e visão de si. Até parece que já esteve em terapia.
      A ausência de sentido à vida pode ser mais grave que a depressão. Há pessoas que estão na fase de depressão chamada involutiva, que é pior que a depressão comum. Talvez esse seja seu caso, onde nada tem sentido ou faz diferença.
      Procure ajuda psicoterápica, seu caso é estrutural.

      Excluir
  14. Dr,

    Primeiramente quero lhe agradecer e parabenizar por ter a iniciativa de criar esse blog.

    Sou um jovem de 18 anos, e tenho um problema gravíssimo, pelo menos para mim, creio que seja grave. Já estou no 3º semestre da faculdade, e desde o primeiro dia de aula, não consigo arrumar amizades, todos ficam distantes de mim, fico sozinho o dia todo, tento chegar em outros grupos, tento puxar assunto, mas ninguém se importa comigo... Muitos até me cumprimentam, tipo com um "oi" só, trabalhos em grupo, eu até consigo entrar em algum grupo, converso numa boa com todos sobre o tema e todos conversam numa boa comigo também, mas sempre quando os amigos resolvem combinar para ir para um barzinho ou outro lugar, ninguém nunca me chamou, sabe aqueles amigos super amigos mesmo que todo mundo faz? então desde o colegial não sei mais o q é isso. Juro por Deus queria muito me sentir querido, amado por amigos e amigas, mas me sinto extremamente só, ficar só no intervalo todos os dias num cantinho do refeitório é muito chato e ver que é só eu q fico assim, é ruim demais. O pior é tentar se aproximar e as pessoas demonstrarem que não estão gostando muito da sua presença, por te achar talvez um "mala", uma pessoa sem assunto. Isso acaba comigo, preciso muito de ajuda, pq isso acontece comigo???? só de saber que amanha sera tudo de novo não dá mais nem vontade de continuar ir à faculdade. É muito triste, estou sempre com depressão e com muita tristeza dentro de mim.

    Eu sei que o tema deve ser muito difícil de ser respondido, mas gostaria de saber se o Dr. teria alguma dica ou técnica para me falar e fazer com que eu consiga pegar amizades com os colegas de classe, o detalhe é que eu já estou nessa sala à quase 1 ano e meio, e todos já meio que me conhecem um pouco que seja. Dr. por favorrr, preciso muito da sua ajuda !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como vai, obrigado pelo elogio.
      Bom, amizades se constrói. As da infância geralmente são únicas e inigualáveis mesmo. Não se iluda ao compará-las com as atuais.
      Você tem muita nóia. Pensa demais no que as pessoas podem estar pensando de você. Você reage aos seus próprios pensamentos e assim se torna uma pessoa pesada e consequentemente chata, pois perde a espontaneidade. Como fazer pra mudar isso, é sua pergunta. Atitudes. Pra atitude, coragem. Pra coragem, loucura.
      Dentre as atitudes, teatro, terapia de grupo, terapia, novas amizades, sair à noite, passeios, academia, etc. Alguma atitude deve ser tomada. Não espere a velhice quando você sentará na cadeira de balanço lamentando as atitudes não tomadas, pois sempre ouço isso da terceira idade....

      Excluir
  15. Olá doutor, Meu nome é A.B. e tenho 26 anos.
    Terminei um relacionamento de 3 anos com uma pessoa, que apesar de bom caráter, possui uma família desestruturada, pais alcoólatras, abusa do alcool também e é envolvido com drogas. É uma pessoa muito instável, e com o passar do tempo, me tronei a figura materna na vida dele. Faz dois meses que resolvi terminar e essa pessoa, infelizmente, não está aceitando bem. Me liga de madrugada, sempre bebado, falando que vai se matar. Se sente dono da minha vida, e dessa forma não posso sair coam as amigas, nem conhecer outra pessoa. Sinceramente, estou mais presa do que quando namorava. Já tentei conversar com ele, meus pais já conversaram, já falei com a irmã dele para aconselhá-lo, mas a situação está cada vez pior. Tenho medo que ele realmente faça uma loucura quando estiver sob o efeito do alcool ou das drogas.
    Faz um mês que não durmo, perdi uma entrevista de emprego e um concurso público pelo nível de estresse. Não sei como me comportar numa situação delicada dessa. Tenho medo de "chutar o pau da barraca" e o pior acontecer, mas não quero voltar com ele pois preciso de paz de espírito, que ele não me dá. Como lidar com alguém desse jeito? E como faço para não ficar em estado de alerta o tempo todo, esperando o pior. Estou a beira de um colapso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar: cerque-se de pessoas que possam te proteger, conte para todos, deixe família e amigos ciente disso e não saia sozinha.
      Pode ser blefe, como pode não ser. Não há como saber.
      Procure ajuda psicoterápica e momentos de diversão e relaxamento. Esteja sempre em grupo. Troque o telefone se quiser e tome a sua decisão quanto a esse rapaz o quanto antes.

      Excluir
  16. Olá e boa tarde, Dr.Marcelo Quirino,

    Eu gostaria de agradecer por você ocupar um pouco do seu tempo para me ajudar.
    Há muitos anos atrás, eu vim para o Brasil e fui morar em uma cidade de interior com 11 anos. Como a minha cultura era diferente do que á maioria, eu tive dificuldades de me enturmar com os meus colegas de sala, então eu recebia bullying psicologico, se assim posso dizer, a minha vida escolar toda.
    Nunca tive amigos de verdade naqueles tempos até eu mudar para uma cidade grande aonde apenas consigo ter amigos online, porque na vida real, todos os meus amigos fogem de mim. E é uma mera questão de tempo de que os meus amigos online também se vão.
    Agora tenho 20 anos, nunca namorei, tenho quase nada de amigos que não sejam online e todos que tento conversar com acabam fugindo de mim. Também não sei do que eu gosto de fazer, então não tenho muitos sonhos na vida.
    Não tenho dinheiro para ter um tratamento psicologico, caso eu tenha problemas, então gostaria de saber o que eu posso fazer para resolver isso.

    Obrigado novamente por sua atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, infelizmente eu ouço muito isso: "tenho um problema, mas não tenho dinheiro para buscar ajuda psicoterápica."
      Creio que grande parte das vezes isso não é real e não se justifica. Se a pessoa sofre, se há um caminho para aliviar esse sofrer, mas a pessoa não quer pagar o preço, ou não sofre de verdade, ou gosta do sofrer, ou realmente pode ser uma pessoa muito limitada financeiramente. Este último pode ser o seu caso. Mas se não for, não perca tempo. Não há palavras mágicas pela internet ou livros de autoajuda que funcionem. Você sofreu na infância com a mudança e com o bullying, e isso marca demais. Há em você autoestima baixa, e uma autoimagem altamente depreciada. Só as situações sociais vão te permitir reforçar estes aspectos negativos. Quando puder/quiser, procure psicoterapia em grupo. Em grupo. Visite o CAPS de sua cidade. Ponha na internet que acha. O CAPS pode te ajudar. Converse com o psicólogo local e tente negociar algumas participações suas em alguma terapia de grupo que esteja sendo desenvolvida, ok?

      Excluir
  17. como lidar com a ansiedade? tive uma enxaqueca mas o neuro falou que era ansiedade. o que faço?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Evitar a fonte da ansiedade. Duas fontes: interna ou externa.
      A fonte externa é temporária, ocasional, factual, relacional, conjugal, enfim, algo passageiro que acontece a você.
      A interna é uma estrutura de personalidade que produz ansiedade. Sabe as pessoas workaholics, neuróticas, histéricas, etc? Pois é. São essas.
      Neste último caso, o caminho é psicoterapia de médio a longo prazo.
      Identifique o seu caso e tente diminuir a fonte. Se for interna, pague os preços de uma terapia e siga a vida. Não deixe pra depois. Ansiedade a longo prazo pode criar sérias consequências para a saúde.

      Excluir
  18. olá! tenho uma filha de 2 anos e 7 meses que ficou todo esse tempo sempre comigo, agora preciso trabalhar e ela não fica em nenhuma creche, minha sogra quer cuidar dela, mais nem com a avó ela quer ficar. Todos dizem para mim deixar ela chorar que vai passar em alguns dias mais eu não consigo. Não consigo deixar ela chorando, fico angustiada, com um aperto no peito e não presto atenção + em nada. me ajude por favor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, situação dolorosa essa para você. Creio que é uma questão de decisão. O que te falta é decidir: ou cede ao choro dela ou ignora o choro dela e se parece insensível. Coração de mãe é mole mesmo. Você se sente uma pessoa malvada ao fazer isso, culpada. Há aspectos seus com seus pais e com sua infância que explica isso. Ela é muito novinha para entender uma conversa. Portanto, por isso falei de decisão: deve ser forte para manter a decisão de deixá-la chorando e ao mesmo tempo tolerar a culpa...

      Excluir
  19. Olá Dr.,
    Em teste da House-Tree-Person, gostaria de saber se no desenho da pessoa, importa a ordem da pessoa desenhada, ou seja, se homem, desenhar mulher primeiro, ou vice-versa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de entender a motivação da dúvida. Na dúvida da motivação, prefiro manter a dúvida.

      Excluir
  20. Boa noite Doutor.. como vai? eu tenho uma duvida... se puder me responder ficarei muito feliz..na verdade é algo que eu tento obter alguma resposta e não consigo... ( sou mulher) bom a 5 anos atraz conheci uma pessoa atravez de contato profissional com uma pessoa da minha familia.. nesse momento eu era solteira e ele tb.. acontece q como ele é 3 anos mais novo q eu nesse momento ele era menor d idade.. e surgiu algumas brincadeirinhas de outras pessoas e ele sempre abaixava a cabeça com certa timidez... nunca aconteceu nd.. para dizer a verdade eu sempre tive muito interesse nele.. apesar de não saber se era reciproco.. p/ dizer a vdd por causa dessas coisas acho q nunca tive contato de amizade com ele.. passando meses disso começei a namorar um outro e durante 5 anos eu continuava vendo ele 1 vez na semana mais ou menos.. ele vinha em casa trazer o trabalho e nem sempre eu via ele.. como eu disse mesmo qndo eu via ele, mal conseguia falar.. tinha algo q impedia me parece.. dpois do meu namoro acho q ele era muito hostil.. sempre quando eu via ele , ele tava com cara fechada.. nem me olhava.. parecia q me odiava... apesar de pouquissima comunicação entre nós.. se passaram 5 anos.. bom ele cresceu, amadureceu;; e as vezes qndo eue olhava p/ ele sentia algo forte dentro d mim.. bom, mas sou comprometida.. ele passou a ser mais educado e eu sempre cumprimentava ele sorrindo ( qndo agente se via) ele passou a fazer a mesma coisa.. não passava muito disso nossa relação.. a parte estranha vem agora.. quando meu familiar que trabalhava com ele falava sobre mim, ele demonstrava bastante interesse.. perguntava coisas a meu respeito.. porem perto de mim ele sempre falava coisas bem contrarias a que eu aprecio.. por exemplo: se ele soubesse que eu gostava de algo ele falava algo bem contrario a isso.. um dia ficou falando com meu familiar se alta afirmando que ele era muito muito chato.. parecia q ele queria q eu odiasse ele.. eu nunca intendi o porque disso.. vc tem alguma resposta para isso? detalhe : ele tb parece q tinha a mesma reação de quase nunca conseguir falar comigo.. mais os olhos dele era sempre tão brilhante... quando eu não via ele sentia saudades.. vontade de ve-lo.. qndo eu estava junto queria matar ele por causa das coisas absurdas q ele falava.. agora não o vejo mais e meu coração chega a doer por isso.. ja faz quase 1 ano q não o vejo mais.. queria tirar isso de mim p/ poder levar meu relacionante numa boa.. é algo tão pertubador q só eu sei..pior q eu sei q provavelmente agente nunca daria certo pq temos personalidades forte.. o que vc me aconselha? pq acha q ele tinha essa reação comigo? desculpe o texto enorme.. muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma reação de autodepreciação... não creio que tenha pensado em uma estratégia para você o odiar não, parece improvável...

      Excluir
  21. O amor é a própria abordagem. Já que ele está com outra, você está num dilema: ou atende os seus valores morais caso os tenha ou luta pelo amor que tem. Isso só você poderá decidir.

    ResponderExcluir
  22. Olá,

    Estou num relacionamento e acabo por terminar, mas estou muito angustiado e perturbado, pois , não sinto mais atração por ela, tenho vontade de conhecer outras pessoas...e até mesmo a vontade da intimidades acabaram, eu stou no Rio de Janeiro a trabalho e só ia para casa a cada 30 dias, ela sempre pedia para morar comigo e eu sempre inventava uma desculpa que não dava que futuramente eu ia dar um jeito , mas na verdade era pra ganhar tempo até arrumar uma pessoa em que realmente eu me apaixone, quando estou com ela nós so brigamos.
    Pois bem ela me ama muito e não quer terminar ...e eu não quero mais enganar e trair...Bom como disse terminamos mas tenho medo de estar sendo traido pelos meus sentimentos pois apesar de tudo que relatei, da vontade de estar livre, conhecer e ficar com outras mulheres agora que vejo que ela pode estar com outra pessoa me sinto angustiado, com medo de sofrer, lutando contra meus proprios sentimentos para não voltar...só depende de mim, então eu te pergunto .....esse medo de ela ter outra pessoa, de meu filho morar com outro homem, é um sentimento de posse ? , egoismo, ou eu a amo e não sei ?
    por favor pesso sua ajuda. O que devo fazer ...? isso é amor ? esse medo que estou agora de ela ter outro , de ela amar outro ? é amor ?

    ResponderExcluir
  23. Bom, talvez você mesmo já tenha respondido suas perguntas.... só está dividido.

    ResponderExcluir
  24. Bom, desculpa ser direta e grossa; mas a verdade é que ela não quer outro tipo de relacionamento com você que não o de Amizade, por isso ela insiste em afirmar, e ela não sai sozinha com você por que sabe que você vai tentar algo "romântico" e ela vai ter que dizer não e te magoar, e acredite, isso nada tem a ver com seu porte físico (gordinho) como você disse, com seu aspecto financeiro ou outra coisa material ou física e sim com o fato de que ela não sente por você o mesmo que você sente por ela, ela gosta de você sim mas como amigo, e coração infelizmente é terra onde ninguém pisa, ela não manda no coração dela, assim como ela tem você que é apaixonado, deve ter alguém que também é apaixonada por você mas você não "sente" nada pela pessoa. Por isso muitas vezes as pessoas sofrem depois que namoram alguém ou casam, elas amam e não são correspondidas, se desse certo de a pessoa amar quem a ama o mundo seria mais feliz rsrrs
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, essa resposta de Flavinha acho que é direcionada ao Anônimo de 22 de fevereiro de 2012 23:08.

      Excluir
  25. Eu gostaria de saber, por favor, qual a melhor formade lidar com alguem que nunca aceita que eu pague a conta ou que ofereca ajuda. Estou um pouco melhor de grana e gostaria que esta pessoa aceitasse minha ajuda, seria a solucao de todas as nossas questoes e poderiamos ate nos casar. Alguma dica? Porque algumas pessoas sao assim?
    Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, na nossa cultura machista, um homem tem dificuldades de aceitar isso. E não tenha conversa que resolva, pois alguns homens se sentem intimamente enfraquecidos e ou abusadores. Tem o lado positivo e seu lado negativo, claro. Mas creio que é uma questão cultural essa.

      Excluir
  26. Ola Marcelo.. Sou estudante de Psicologia estou fazendo um trabalho relacionado a sua escolha profissional. Tenho aqui algumas perguntas basicas.. espero que voce me responde o mais rapido possivel.

    *Por que voce escolheu a psicologia?
    *Qual a sua area de atuação profissional?
    *Voce trabalha em quais lugares?
    *Como é o seu dia a dia profissional?
    *Voce utiliza alguma teoria psicologia no seu trabalho? Qual a sua referencia teorica?
    *O que voce aconselharia a um futuro psicologo?

    Fico aguardando a sua resposta.
    Obrigado :)

    ResponderExcluir
  27. [COMENTÁRIO EDITADO PELO MODERADOR PARA OCULTAR NOMES E OU LUGARES]

    Caro doutor Marcelo, bom dia!

    Tenho uma dúvida: Existe algum transtorno psicológico que explique a dificuldade de algumas pessoas de serem chamadas a atenção? Sei que ninguém gosta de ser corrigido, mas como explicar a aversão de alguém que, mesmo quando a correção é feita com todo o cuidado, medindo as palavras e sem usar adjetivos pejorativos ou comparações, sempre reage se defendendo?

    A situação específica é de um casal. Eles se amam; se respeitam; têm vida social; a mulher é excelente dona de casa, mãe e amante. O casal não tem nenhum tipo de problema. Mas quando o marido, na posição de chefe da família, resolve fazer alguns ajustes se inicia um mal estar que pode durar longos dias. O casal não consegue estabelecer ações para resolver qualquer pequeno problema familiar. Quase sempre, cada um expõe o seu ponto de vista e ninguém abre mão de suas convicções.

    Diante do quadro, o marido já pensou em fechar os olhos para as coisas que precisam de ajustes, como a economia doméstica, por exemplo, somente para evitar aborrecimentos. Por outro lado, ele acha que agindo desta forma estará deixando de cuidar daquilo que ele mais presa, que é a família (o casal tem um filho adolescente).

    Doutor, Porque o referido casal tem tanta dificuldade para corrigir questões familiares tão comuns?

    Aguardo a resposta do senhor.

    Atenciosamente,
    R.M.

    ResponderExcluir
  28. Pela sua dúvida já imagino que seja uma família com valores próximos à cristã tradicional, onde o homem é visto como o chefe da família.
    Família é um sistema e assim deve ser entendida. Um problema gera o outro, que gera outro e assim se autoalimenta infinitamente.
    Portanto, é necessário terapia pelo grau de comprometimento. Aconselhamento não adianta. Em muitos casos, aconselhamento só reprime vontades, mas não mexe com as estruturas psicológicas. Aconselhamento tem limites e é bom se atentar para isso. Não romantize o aconselhamento.
    O caso é complexo pela estrutura e modos de reação apresentado pelo casal. Assim sendo, não será um mero conselho por aqui que resolverá magicamente a complexidade desse caso. É necessário abirmos nossas mentes para a psicoterapia de casal, de família e individual. 'Empurrar com a barriga' um problema, fingir que não vê, dizer que 'não tem dinheiro para psicoterapia' só ajudam a piorar o caso. Ajude-os a procurar um Bom Psicólogo, pois este caso não é de simples dúvidas e orientações, mas sim de terapia.

    ResponderExcluir
  29. Só um adendo. É por conta da resistência do aconselhado que você demonstra no 1º parágrafo que não acredito muito em aconselhamento. Aconselhamento tem limites, indicações e especificidades. Geralmente ele se choca na resistência e não leva em consideração fatores inconscientes. Por isso, teólogos que defendem o aconselhamento como suficiente estão fazendo um desserviço para a saúde mental de algumas pessoas. Um exemplo desses teólogos é o John MacArthur Jr.

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Marcelo, tenho um filho de 14 anos, sou separada do pai dele e hoje estou casada com outra pessoa a 4 anos, meu filho nunca foi muito bom nos estudos sempre passou de ano raspando como se diz, mas nunca repetiu de ano, mesmo nao gostando de estudar sempre me empenhei bastante para que ele nao repetisse, mas agora esta no primeiro ano do ensino médio e os estudos continuo de mau a pior, converso muito com ele que se nao estudar nao vai conseguir um bom emprego, ele nunca me escondeu que nao gosta de estudar e que so estuda porque é obrigado que nao vai precisar de dinheiro porque nao vai ter familia para sustentar e outras coisas mais, nao sei mais o que fazer, acho que ele tem mudado, perdendo uma doçura de filho bem, sao tantas coisas que é melhor parar por aqui e ir direto a pergunta, devo marcar uma consulta no psicologo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, já se foi a época em que estudo dava dinheiro mesmo. Os pais demoram a se acostumar com isso hoje em dia. Ser um profissional formado com nível superior já não é mais sinônimo de ganhar dinheiro. Já vi concursos para Psicólogos que ofereciam R$800,00. Triste. O problema é que a escolarização é obrigatória e que sendo a mentalidade dos pais antiga, não sabem educar para o empreendedorismo. Negocie com seu filho, exponha que ele talvez tenha razão, mas faça-o entender da necessidade de se formar até o segundo grau. A sua conversa deve ser de outro nível: a do empreendedorismo. Converse e pesquise com ele formas de se ganhar dinheiro sem ser a velha fórmula de estudar e se formar. O SESC ou SESI tem cursos desse tipo. Frequente com ele. Pense com ele em formas de ganhar dinheiro e de empreender. Esse é o novo mundo, o mundo onde os formados servem quem não estuda....

      Excluir
  31. Ola, sou casada a 15 anos e a um ano conheci uma mulher, nos começamos a nos falar e foi pintando uma clima e nos apaixonamos, mas diante de eu ser casada e termos uma visão cristã tanto eu qnto ela resolvempos q seriamos somene amigas, no carnaval ela veio passar uns dias em minha casa ela e um casal de amigos , não nos contemos e nos relacionamos , ela voltou pra sua cidade e eu aqui na minha. Depois q ela se foi conversamos e decidimos que o que havia acontecido ficaria guardado na nossa historia e q não mudariamos o fato de querermos ser apenas amigas, mas nos falamos todos os dias o dia todo, desde sete horas da manha pra nos darmos bom dia ate o horario q vamos dormir, eu evito falar com ela peto de meu marido , ma se deixo de falr com ela o dia todo ela briga comigo e se põe como vitima, e me diz q eu não a vejo como amiga e por isso tento esconder de meu marido, mas eu acho q amigas não se falam o dia todo então ela tbm não me ve como amiga . não sei o q fazer pq ela fica chateada comigo e isso me magoa.

    ResponderExcluir
  32. Bom, ser amigas foi o que a razão de vocês decidiu. Essa é uma situação mais comum do que imaginamos. O fato de ninguém poder saber, de ser uma relação proibida por você ser cristã e de ser ‘fora do normal’ para o conjunto de valores que você compartilha só aumenta mais o desejo por ela. Só tome cuidado para estabelecer limites claros na relação, caso seja essa sua preocupação, pois percebo que é.

    ResponderExcluir
  33. Olá.
    Morei em um cidade por 1 ano e 8 meses. Por lá fiz muitos amigos, mas agora que regressei para minha terra natal, fiquei um uma certa antipatia da cidade em que morei. Não quero que eles venham me ve e não quero voltar lá tb. Gostaria de saber se isso é normal, se tem um nome... não gosto de ter esse sentimento.

    ResponderExcluir
  34. Bom, há certas reações que uma pessoa experimenta ao mudar de cidade caso a cultura seja muito diferente da sua e ser fator angustiante. Pode haver desde transtornos de identidade, psicossomatizações, ansiedades, uso de drogas, sensação de desamparo, vazio e depressão, etc. Pelo que parece você sente vergonha. Mas vergonha de quê? Me parece meio ilógico essa sensação. Talvez você esteja ocultando algum dado para minha compreensão. O caso é que você quer evitar o contato, mas por qual motivo não está claro. Tente identificar esse motivo. Ele existe.

    ResponderExcluir
  35. Dr,bomdia!Ha 1 ano e meio não fico+ com o meu marido.Estou casada ha 38 anos.Estouem quarto separado,tomei essa decisão em cnseguência de violências bárbaras e cachaçadas.Hoje é cd 1 pro seu quartomas ele continua bebendo,traindo e diz q toma viagra e vende tb.
    O q o sr tem a me dizer?Será pq eu tolero essa querra fria?Em nome do alcoolismo q é uma doença ele agora é tb infiel,tudo bem é a escolha dele mas está dificil p mim conviver na mesma casa com ele e não ter nem um pouco de consideração,Pq eu aceitoisso?Será q p eu manter minha família unida eu tenho q pagar esse preço?Morena q camiha p terceira idade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que gostaria que eu dissesse? Gostaria que eu tomasse a sua decisão? Ficar em casa ou sair, estar com ele ou se separar é uma decisão de cunho personalíssimo. Não há quem vai te dar a decisão correta. Vejo que o seu problema é suportar o peso e as consequências imprevisíveis de uma decisão e a ocasional culpa que venha surgir. Em sua mente há pensamentos como: ‘devo me separar dele ou não?’ ‘Mas estou casada há 38 anos e não é certo abandoná-lo em momento de doenças’. E também ‘eu devo me separar mesmo porque ele me bate e já perdeu o respeito por mim’. Esses pensamentos mostram o quanto você está dividida quanto à situação. A decisão é uma questão sua e não uma questão médica ou psicológica e nem mesmo religiosa. Suportar o peso de uma decisão pode ser um problema para muitas pessoas e decidir é sempre um ato de coragem.

      Excluir
  36. [COMENTÁRIO EDITADO PELO AUTOR DO SITE PARA OCULTAR DADOS, NOMES E LUGARES]
    Olá. Sou casada, tenho X anos e uma filha de 4 e uma de 2. Moro numa cidade pequena de X, e resolvi buscar na internet alguma resposta pras minhas perguntas, afinal, não tenho plano de saúde, e muito menos condições pra pagar uma consulta.
    Sempre fui uma pessoa comunicativa, estudiosa, trabalhadora. Deixei de trabalhar há 2 anos, e passo o dia cuidando dos afazeres domésticos e de minha família.
    Meu relacionamento com meu marido é ótimo, bem como com meus filhos, e é justamente sobre esta relação mãe e filho que quero falar. Meu pai é uma pessoa muito boa, muito centrado, um verdadeiro exemplo. No entanto, minha mãe é o oposto.
    Resolvi escrever pq queria saber como resolver algumas situações que estão me deixando pra baixo.
    Desde pequena fui muito cobrada. O relacionamento de meus pais sempre foi conturbado, e minha mãe sempre tentou me colocar contra meu pai. Lembro que eles brigavam toda semana, ela agredia meu pai, e ele, no limite do seu stress, acabava agredindo tb.
    Meu pai hoje é uma pessoa depressiva. Ele se trata e eu morro de medo de perdê-lo.
    Ela sempre dizia que tinha um relacionamento maravilhoso com a falecida mãe, mas tb de vez enqdo lembrava que ela levou uma surra tremenda de sua mãe no dia do seu aniversário de 15 anos. Ocorre que eu tenho a impressão de que as coisas se repetem, pois no dia do meu aniversário de 15 anos, eu apanhei um monte por um motivo fútil.
    Ela sempre teve vergonha de casa onde mora, então desde pequena, ela nunca deixou eu levar minhas amigas em casa, das vezes q fiz, ela me deixava constrangida na frente das amiguinhas e depois me surrava.
    E sempre foi assim, eu apanhei muito dela quando pequena. Ela diz na frente das minhas filhas que eu devia ter morrido na barriga dela.
    Tento de todas as formas agradar, levo pra onde ela quer, pois ela não dirige. Quando ela se aposentou, nós achamos q ela ia melhorar, mas só piorou.
    Tenho um irmão, e ela ama ele demais. E todas as pessoas próximas a mim percebem essa diferença descarada. Eu não me importo, só me importo com as atitudes grosseiras.
    O maior problema de tudo isso é que ela se emburra. Vive emburrada. Fica dias, as vezes mais de um mês sem falar com ninguém. Sem contar que ela não pode me ver feliz. Se ela vê q eu estou sorrindo, ela logo se emburra. Sempre foi assim. Se vou viajar com minha família, quando voltamos, ela está emburrada. Se eu digo q foi chato ela não se emburra. Se nós faziamos jantar de final do ano, natal, aniversarios, ela vivia se fazendo de coitada pras visitas, chorando e Sempre, mas SEMPRE, emburrada.
    Ela e minhas filhas se adoram. Só que ela fica falando mal de mim pra duas crianças pequenas.
    Estou muito deprimida. Meu pai de meu uns calmantes naturais, pois ele sabe exatamente oq eu sinto.
    Acho que ela não gosta dessa proximidade q tenho com meu pai. As vezes até penso q lá na infancia ele devia dar mais atenção a mim do q a ela, mas ele diz q ele sempre tentou fazer ela a pessoa mais feliz do mundo.
    Eu não coloquei nem a metade das situações que ocorrem e que me deprimem. Eu vou esperar mais um pouco pra buscar tratamento mesmo, pois eu mudei bastante. Tenho vontade de dormir o dia inteiro, nao tenho mais animo pra me arrumar nem nada. Só sei dizer q tudo tá se acumulando.
    Se puderem me dar alguma posição sobre oq vcs sabem sobre isso, agradeço.
    Att,
    A.C.

    ResponderExcluir
  37. A primeira frase que vem na minha cabeça ao te ouvir é: ‘você não existe’. Você só existe para os seus pais. Foi assim desde pequena ao ser muito cobrada. Quando pequena devia buscar o desejo de seus pais e fazer o que eles queriam. Hoje vive para cuidar do lar e dos filhos e do marido. Vive numa cidade pequena onde os valores familiares é o patriarcal. Tudo isso colabora para que você não exista, para que não faça suas vontades, e seus desejos. Qual é a consequência disso? Imagina? Você foi usada e viu violências. Talvez sua autoestima esteja baixo porque se identifica com seu pai e tem muita pena dele. E consequentemente pode ter pena do seu marido também sem saber. Esse trauma de violência familiar geralmente provoca nas crianças certa timidez excessiva que é fruto do senso de autoeficácia baixo, já que não experimentaram um ambiente agradável e confiável em casa.
    A fala de sua mãe de que você deveria ter morrido na barriga dela demonstra que você não foi investida de amor e carinho na medida em que precisava. Tal ausência gera autoestima baixa, depressão latente, melancolia e relações de dependência com seus pais ou outras pessoas. Você pode ser uma pessoa pouco assertiva e de pouca iniciativa por isso, mais comedida e introspectiva também.
    Essa foi e continua sendo sua vida: agradar seus pais ou sua mãe. Assim, você se nega a si mesma em prol dos pais. Você mesma se anula.
    Seu caso é complexo e tem uma indicação alta para psicoterapia.
    Tente ao menos ser você mesma, não se esforçar ao extremo para agradar. Quando uma pessoa projeta ódio em nos, mesmo que seja pais, o que faz eles continuarem a odiar é a vitima cair na carapuça e se sentir diminuída. Você tem se diminuído. Evite isso. Mostre que você tem desejos, deixe de fazer algumas coisas, deixe de se culpar, deixe de se preocupar, mostre que você cresceu e tem desejos. Cumpra isso e talvez o emburramento de sua mãe passe com o tempo. Não peça desculpas demasiadas. Seja mais assertiva ou se imponha um pouco mais. Você tem que sair do ciclo de vítima das agressões psicológicas feitas de negligência e menosprezo. Vale até mesmo uma conversa com ela. Não se preocupe com a idade. Pessoas como sua mãe podem manipular emocionalmente, mas é grande a chance de ser blefe o que dizem em ameaças. Na verdade, você é uma vitima que vestiu a carapuça de malvada e tenta consertar um erro que nunca foi seu.

    ResponderExcluir
  38. Uma família muito "protetora", controladora e que usa punições para "ensinar lições" aos filhos pode contribuir para o fracasso social e profissional de um indivíduo?

    ResponderExcluir
  39. Olá Dr. Tenho um filho de cinco anos que é muito grudento com as pessoas, mesmo as que ele não conhece, ele já chega e quer abraçar, ou se está numa piscina já quer subir em cima e brincar mesmo que a pessoa ou criança não esteja afim. Observo sempre isso e ele tem outras manias também que até anotei para facilitar:
    _quer atenção só para si (Grita bem alto quando não tem chamando eu ou a pessoa que ele quer que olhe ele o tempo todo, e toda hora tudo o que faz quer que olhem)
    - Nas brincadeiras quer sempre levar vantagem
    -não aceita perder
    - Quer tudo para si
    - Quer ser o centro das atenções
    - Não consegue ficar sozinho, o tempo todo ele pede pra chamar alguem pra brincar com ele e muitas vezes quando chamo ele nem brinca ou implica
    - fala demais
    - não sabe ouvir
    - teimoso
    - desobediente
    - os mais velhos o isolam e não toleram
    já teve esse problema e agora voltouDe uns dias para cá começou a ter tics de ansiedade, repete o mesmo gesto muitas vezes e dá gritinhos finos e altos. Ele fica muito tempo comigo e o pai fica em casa poucos dias, mas ele é mais ligado a mim.
    Gostaria de saber o que pode ser isso e o que eu posso fazer por ele nesse caso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A primeira pergunta é: por que você acha que ele é assim? O que falta?
      Uma segunda reflexão poderia ser direcionada para falta de atenção adulta, ou mais especificamente dos pais.
      Na primeira pergunta você não o limita. Na segunda reflexão ele sente sua falta e reclama a presença de amor. Mais dados me seriam necessários, mas como este não é o canal para diagnósticos, sugiro um investimento em psicoterapia antes que ele cresça.

      Excluir
  40. estou com um problemao nao sei nem onde começo dr marcelo mas vou te contar faz 1 ano e meio mas ou menos que nao saio de casa so as vezes pra fora mas depois eu entro de novo antes disso eu levava uma vida normal depois que eu me mudei pra outra casa eu fiquei assim porque antigamente eu morava de aluguel e agora de casa nova ai pronto fiquei assim de repente tou tendo medo de mi mesma medo das pessoas quando saio pra fora eu entro de novo nao ando mas na casa da minha sogra faz um ano que eu nao ando mas la e apesar de tudo ela pensa que eu estou com prencoceito contra o filho dela porque tem aids e apesar de tudo isso o filho dela nem anda na minha casa por causa disso e eu sinceramente nunca passou peçla minha cabeça isso por favor me ajuda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um dos meus maiores desafios tanto aqui é a compreensão de uma vida a partir de um parágrafo. Às vezes, eu fracasso mesmo. Não consigo compreender. Mas isso se deve ao canal. Já na clínica o psicoterapeuta também fracassa, erra, principalmente quando se põe na posição de super-homem que sabe tudo. Essa é uma posição perigosa e traiçoeira. Isso é comum em terapia. Faz parte da complexidade humana, é estrutural e não profissional. Sabe entender isso é um alívio para os terapeutas.
      Mas arrisco dizer que o seu caso se deve à mudança, à necessidade de pagar a casa, à mudança que representa uma independência, já que na casa de aluguel você se sentia protegida paradoxalmente. A mudança de vizinhança também pode ocasionar inseguranças psicológicas, pessoas diferentes. Você percebe que em seu mundo estava adaptada e agora há um novo mundo. Logo o problema não é o local, está em você. Por quê?

      Excluir
  41. Bom dia doutor. A minha pergunta é um tanto, por assim dizer, "simplória". No verão durmo com o ar-condicionado e o ventilador ligados juntos. Adoro demais o barulho do ventilador, e o ar como é do modelo split, é muito silencioso. No inverno durmo apenas com o ventilador, mas somente pelo barulhinho dele. Quero saber se o fato de eu gostar de dormir com o ventilador no inverno, devido ao seu som, é psicológico, ou é apenas uma mania? Acho que seria psicológico se eu sentisse calor no inverno, o que nem de perto é verdade, por isto acho que é apenas uma mania. Mas gostaria de saber a sua opinião. Grato, L.E.

    ResponderExcluir
  42. Uma mania é psicológica porque traz conforto, traz embalo, harmoniza-se neurologicamente. Não se preocupe, acho que isso não é contagioso, rs. Durma bem e leve seus ventiladores para os passeios que não os tiver. Pode relaxar.

    ResponderExcluir
  43. Oi Dr. Marcelo Meu nome é A., e eu sou muito carente, sinto falta de abraço, alguem que pegue na minha mão sabe essas coisas, talvez muitas pessoas possam viver sem isso e nao sintam faltam...mas pra mim são essenciais..lembro que na minha infancia meus pais nao eram tão afetuosos comigo...essa minha carencia pode ter alguma relaçao como a forma que fui criada.. Tenho 31 anos, não namoro e sou lésbica. Ficarei grata se o Dr. me responder.

    ResponderExcluir
  44. OLA!Dr. MARCELO MEU NOME É TAÍS,TENHO UM PROBLEMA NA GARGANTA QUE SINTO MUITA DOR E PERCO A VOZ DIRETO, MESMO FALANDO POUCO.
    JA FIZ EXAMES DA GARGANTA, NAO DERAM NADA, HOJE FAÇO FONOTERAPIA NÃO ESTA ADIANTANDO... TENHO UMA FERIDA MUITO GRANDE NO MEU CORAÇAÕ POR CAUSA DA MINHA FAMILIA E PERCEBI QUE ESSES DIAS CHOREI MUITO + - UNS 3 DIAS POR CAUSA DELES E NO TERCEIRO DIA NAÕ SUPORTAVA DE DOR DE GARGANTA E LOGO EM SEGUIDA PERDI A VOZ E FIQUEI UMA SEMANA SEM VOZ...A MINHA PERGUNTA É SERA QUE O MEU PSICOLÓGICO É QUE ESTA FAZENDO ISSO?UM PSICOLOGO PODERIA ME AJUDAR COM A GARGANTA?
    FICAREI MUITO GRATA EM OUVIR SUA OPINIAO.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Taís, se você passou pelo médico e não foi identificado anormalidade física, creio ser sim psíquico. Contudo, desde já adianto que você deve estar ciente de sua motivação para terapia. Psicoterapia é investimento de médio a longo prazo e para casos de psicossomatização requer um bom profissional. Invista e insista. O tempo de terapia não é passível de ser previsto. Casos como esses são complexos, peculiares e estão profundamente relacionados à forma com a qual o paciente lida com situações de angústia e estresse, estando ainda relacionado com a estrutura de personalidade. Esta última é o objeto de análise em terapia psicanalítica tradicional.

      Excluir
  45. Bom doutor, meu filho tem 4 anos e desde os 3 anos ele estuda, mas este anos a professora veio dizer que ele está mto tímido, no começo do ano teve muita dificuldade em fazer novas amizades, tendo em vista que mudou de colégio, e agora ela disse que ele não quer participar de teatros e não gosta de responder as perguntas em sala de aula. No último teatro ela disse que deixou ele escolher o personagem, mas ele simplesmente disse a ela que não queria fazer nada. Ele é super educado e comportado, tanto que aonde quer que ele vá, ele é muito elogiado. Mas vejo que a timidez tem trazido grande desgaste a ele. Gostaria de saber se tem como eu ajudá-lo? E quais atitudes devo tomar? Saliento que sempre o elogio e sou muito carinhosa com ele e ele comigo, tanto eu quanto meu marido, e ele é filho único.Desde já agradeço pela atenção. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, aqui temos um problema triplo que requer atenção especial no processo de diagnóstico de seu filho. O primeiro é a tenra idade, o segundo é ser timidez a queixa e o terceiro é complexidade diagnóstica que o caso requer.
      Por ter 3 anos, o psicólogo deverá saber discernir aspectos desenvolvimentais normais dos aspectos disfuncionais, ou anormais.
      Por ser a timidez, sua fonte geralmente é ampla e diversa. Deve ser feito um diagnóstico minucioso para identificação dos fatores desencadeadores.
      E por último, o caso é complexo, mas não por isso grave, pois são diversos fatores intervenientes no caso. Assim, para entender o que acontece, o psicólogo deverá investigar muitos aspectos antes de levantar hipóteses: aspectos familiares, educacionais, psicológicos, sociais e desenvolvimentais para que compreenda em profundidade e precisão o problema que está a acontecer.
      Portanto, uma digressão sobre quais atitudes você devesse tomar se faz impossível dado a complexidade dos fatores a investigar antes de levantar hipóteses diagnósticas, ok?
      Leve seu filho a um bom profissional que atenda crianças, assim terá mais sucesso com a educação do pequenino.

      Excluir
  46. oi marcelo venho vindo passando por uns asuntos nao tao parecidos como os que acabo de ler mas gostaria muito que vc me ajudase me desse um concelho pois nao estou sabendo como lidar com meu filho de 13 anos que ja e pre adolecente e a 02 dias fiquei sabendo po ele mesmo que ele foi abusado sexualmente por um sobrinho meu quando ele tinha de 07 para 08 anos e isso repercutil muito na vida do meu filho pois so agora com 13anos ele se abriu comigo e o pai dele e isso esta doendo muito em mim pois por causa disso meu filho começou a sentir desejos sexuais chegando a ponto de tentar abusar da propria prima de 07 anos estou desnorteada pois nao sei como agir nao sei o que faser estou desesperada minha primeira opçao foi procurar uma psicologa napois nao sabia o que faser e ate agora estou plesplesia sem saber o que faser por favor me ajude

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, sua perplexidade pode não ajudar muito. Dependendo do tipo de abuso pode ou não gerar distúrbios. Só o desenrolar dos fatos psíquicos poderá dizer. A sexualidade é iniciada mesmo sem abuso: através da televisão, da vida sexual dos pais que é descoberta sem-querer, e na escola. Assim, não necessariamente a iniciação sexual seja negativa e devastadora, o problema é o ego dessa criança e o suporte externo familiar e psíquico que terá e o grau e constância do abuso.
      Leve-o ao psicólogo e se possível esteja você também em terapia.

      Excluir
  47. ola!! Doutor,Descobri recentemente q tenho alguns problemas emocionais, tem dias que acordo com uma sensação de vazio, vontade d chorar, sofro de insegurança pessoal, e tenho muita carencia de atenção das pessoas ao meu redor, as vezes sofro de ansiedade e angustias intensas, tem epocas q estou assim, sei disso pq percebi um tempo desses q sufoco meus amigos e meus relacionamentos nao dão certo devido a cobrança excessiva e a insegurança, na adolescencia fui abusada 5 meses por um homem, penso hj q tem haver com os sintomas, não quero mais ser assim, mais vejo q é algo em mim q precisa ser tratado, n tenho condições no momento de ir ao psicologo devido ao custo e n tenho plano de saúde oq posso fazer quando vem essas crises me ajude..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo me leva a dizer que você está com depressão. Assim como qualquer psicólogo poderá dizer isso para você também. Só que isso é um perigo. Dizer que você tem depressão não significa que você possua uma doença na sua cabeça que precisa ser operada com remédios sem nenhuma mudança estrutural em sua personalidade.
      Infelizmente nessa sociedade o diagnóstico de depressão retira a responsabilidade da pessoa em ver que ela mesma produz a sua depressão a partir de uma postura diante da vida.
      Quando um psiquiatra vem e diz que temos depressão, parece que não temos nenhuma responsabilidade sobre o desenvolvimento dessa 'doença' e que é responsabilidade do médico ou do psiquiatra 'retirar isso de nossa cabeça'.
      Não pense assim. Pense que depressão é apenas um EFEITO de uma estrutura de personalidade que foi moldada ao longo de um tempo. Assim sendo, uma depressão é apenas o sintoma de uma estrutura que precisa ser modificada em psicoterapia de médio a longo prazo com participação ativa e disciplinada de um paciente.
      Procure terapia e não caia na armadilha de achar que livros, igrejas, remédios vão retirar essa doença da sua cabeça. Pelo contrário, essas defesas só fazem o problema aumentar.

      Excluir
    2. Obrigada, farei isso sim, procurarei ajuda de um profissional..

      Excluir
  48. Mar MA Dr. Nao sei oque vem acontecendo comigo,me sinto infeliz ao extremo,sempre acho que vou morrer,que to doente.vivo no medico e eles me falam que nao tenho nada.JA ME PASSARAM calmantes,mas nao consigo Sou separada ha mais de 5 anos,mantive um relacionamento paos separaçao com homem casado,me decepcionei,agora nao conssigo fazer nada,sempre me sinto frustrada e infeliz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um caso parecido com a pergunta de cima. Nesses tempos, há um tipo de depressão chamada Depressão Estrutural. É diferente da depressão ocasional, que acomete pacientes que passam por determinadas fases pontuais da vida ou momentos difíceis.
      A depressão estrutural é o resultado direto de uma estrutura de personalidade. Geralmente essas pessoas misturam alguns desses sintomas: melancolia, vitimização, culpabilização de outras pessoas, vontade de morte, humor baixo, pensamentos ruminantes de morte e pessimismo, evitação de atividades sociais, autoestima baixa, senso de autoeficácia baixo, isolamento social, perda de memória e vida cognitiva pobre. Esses sintomas fazem tais pessoas se inserirem em ciclos de relacionamentos fracassados, por exemplo. São pessoas que não acreditam na melhora, vivem lendo livros de autoajuda, acreditando que a igreja ou remédios ajudam. Enfim, possuem pensamentos mágicos de que uma pessoa ou algo vai retirá-las dessa situação horrível que vivem, etc. Esses são os sintomas principais notados em quadros desse tipo, há outras manifestações que dependem da peculiaridade do caso.

      Mas veja bem, não disse que você tem esse tipo de depressão. Apenas vá a um profisional e busque ajuda. Essa depressão precisa de terapia, pois é estrutural, histórica e crônica. Cientificamente, só a psicoterapia de médio a longo pode ajudar.

      Excluir
  49. Ola doutor!!!Tenho 31 anos,casada e um filho de 10 anos!!Tenho problemas pra me alimentar. Nao sinto prazer em comer o faco por obrigacao!!!mas nao tenho problemas com peso nunca fui gorda!!!sempre pesei dos 45 aos 50 kilos e atualmente estou pesando 48k e minha estatura e de 1,53!!!Sempre fui indisciplinada pra comer se almocava nao jantava e vice versa!!!Mas ultimamente nenhum dois!!!Nao tenho paranoia de emagrecer pelo contrario gostaria de engordar mas o problema e que sou muito ansiosa e a ansiedade tira minha fome e por causa disso estou me sentindo muito fraca!!!so que nao tenho imagem distorcida e nem me preocupo com o peso!!!sera que posso ter anorexia por apenas nao gostar de comer????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que sua falta de apetite se deve à ansiedade. Ansiedade corta apetite devido a mecanismos neurais e psicológicos. O que resta a você fazer é identificar o fatos desencadeante dessa ansiedade: se é ocasional ou estrutural.
      Se for estrutural é uma estrutura de personalidade que gera ansiedade permanente, você é assim.
      Determinadas fases da vida pelas quais passamos mexem com nosso equilíbrio emocional. o seu parece ser uma fase da vida. Que fase é essa?
      Você precisa de mecanismos de enfrentamento dessa ansiedade. Um profissional pode ajudar. No mais, procure maneiras e modos de lidar com essa ansiedade.

      Excluir
  50. Doutor Depressão Estrutural tem cura? ou mesmo com o tratamento é crônico??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a experiência aprendemos duas coisas: a não sermos taxativos com prognósticos e nem a ser desesperanços.
      Não se pode ser taxativo porque o inconsciente é rei onde impera. Já apostei uma semana em pacientes que duraram anos e anos em pacientes que duraram semanas. Aí, parei de apostar.
      Apesar de não ser taxativo, continuo acreditando na Psicanálise, na Psicologia e nas Psicoterapias! Com todas as minhas forças!
      Procure um bom profissional.

      Excluir
  51. Bom dia doutor!!!Eu tive minha primeira crise de panico a dez anos atras no elevador depois disso evito elevadores!!!Hoje estou com trinta e um anos!!!Ja tive outra Crise dentro do onibus portanto nao ando mais!!!so que tenho eplepsia e quando tenho crises de panico mto fortes acabo tendo convulsoes perda de consciencia e tudo mais!!!!!devido a isso nao saio de casa para nada!!!e estou com depressao pois so fico trancada em casa!!!devido ao medo de sair de casa!!!Meus familiares ja brigaram comigo pra eu procurar ajuda mas como se nao consigo sair se coloco os pes pra fora ja comeco sentir taquicardia e mto mal estar!!!etou dependente das pessoas do meu convivio e. Eles ja nao aguentam mais!!!Meu marido falou em me internar se eu nao me ajudar mas que eu saiba nao tem clinica que interne a pessoa por ela ter sindrome do panico ou tem???Gostaria de me tratar mas como se nao consigo sair de casa para fazer um tratamento????O que faco????desde ja obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pelo que vi foi uma crise que desencadeou uma fobia.
      Sua crise e sua doença crônica estão desencadeando várias disfunções e provocando quadros psicológicos. Tente intervir porque pode ter um prognóstico não muito bom isso.
      Intervir através do neurologista, psicólogo e eventualmente psiquiatra.
      A única postura prejudicial no seu caso e que potencializará o efeito nocivo do seu quadro é justamente o que você tem feito: o isolamento e a inércia. Ficar em casa é o necessário para agravar seu quadro.
      Faça um levantamento de profissionais em sua cidade e negocie uma consulta domiciliar.
      Seu quadro é mantido por uma fobia que intensifica as crises de pânico, convulsões, depressão e isolamento. Precisa quebrar esse ciclo de alguma forma! Dê algum primeiro passo...

      Excluir
  52. Doutor tenho um questionamento..no ambito dos meus relacionamentos,conheci um rapaz e nos tornamos amigos, ele parecia interessado mais eu nao quis me precipitar quando comecei a demonstrar interesse ele nao quis mais saber de mim, estou muito mal, sofrendo com isso, costumo sofrer muito nos meus relacionamentos, gostaria de entender um pouco esse rapaz, ja fiz de tudo para reconquista-lo mais ele nao quer mais nada, nao sei oq fazer, ate nossa amizade mudou, ele esta a procura de uma namorada sempre se aproxima das meninas mais nunca da certo....ele sabe q gosto dele mais nao quis nem tentar algo q poderia ter sido bom, conversamos varias vezs...pq doutor os homens sao assim? quando demonstramos sentimentos eles desistem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma das maiores dificuldades em relacionamentos está o manejo do mundo real. A pessoa frente ao antigo parceiro nega, distorce, cria expectativas falsas, fantasia, pressiona, impressiona, impulsiona, enfim, faz de tudo para mover e demover os sentimentos do antigo parceiro. A questão é: até quando será necessário esse movimento para movê-lo? Ninguém sabe! O processo de reconquista é uma APOSTA. Não há garantias de sucesso.
      Por outro lado, investigue-se, depare-se consigo mesma. Dentro de nós vive um estranho que pensamos conhecer. Quem é você? O que espera dos homens? Tem medo de perdê-los? Faz de tudo para agradá-los e se anula tornando assim o relacionamento chato?
      Pense-se....

      Excluir
  53. Ola doutor!!!estou farta da vida cansada mesmo!!!ja tentei suicidio sem sucesso!!!cresci numa familia desestruturada!!!que ate hoje me atormenta!!!entao casei cedo pra ter a minha mas a anteriornao me deixa em paz reve-los e como voltar ao passado e reviver toda a dor que me fizeram!!!!ninguem compreende!!!e desde que me entendo por gente tenho um sentimento de desajuste como se nao fisesse parte de nada e. De ninguem!!!as pessoas sempre me rejeitaram mesmo quando tinha bastante gente a minhavolta!!!sempre me senti inferior a tudo e a todos!!!o pior que nao tenho nenhum motivo excentrico!!!mas o pior e que estou cansada de aguentar pessoas que me fizeram sofrer muito na minha casa!!!sabendo que nao gostam de mim e so me suportam!!eu tento aguentar isso por que minha vo mora comigo!!!eu nao aguento mais fazer a politica da boa vizinhanca!!!e como se nao tivesse vida propria!!!!e ainda ficam me pressionando para perdoar!!!mas nao consigo!!!sou uma pessoa pavio curto nao consigo fingir o que sinto e se tento fazer eu explodo e e briga na certa!!!mas o problema que penso muito em suicidio nao vejo futuro mais!!!!estou muito triste!!!!sou uma pessoa emotiva e intensa!!!os outros me veem como mimada!!!estou farta da minha familia emeu filho ja esta com 15 anos !!!so penso em morrer!!!!nao suporto mais nada!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suas falas " farta da vida cansada mesmo!!!ja tentei suicidio sem sucesso!!!cresci numa familia desestruturada que ate hoje me atormenta!!!" me parece que você é do tipo que joga culpas nas pessoas que te cercam e às vezes cai na vitimização. Depois de ler o resto (De ninguem!!!as pessoas sempre me rejeitaram mesmo quando tinha bastante gente a minhavolta!!!sempre me senti inferior a tudo e a todos!!!) vi que essa hipótese pode ser real. Você me parece ter alguma dependência com sua família.... não dá para saber o que exatamente. Mimada!!! Exatamente, pode ser essa você!
      Aguente as consequências de seu mimo. Seu mimo é seu conforto.

      Excluir
  54. Doutor onde vc atende???qual plano de saude cobre suas consultas????desde ja obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  55. quero fazer uma pergunta sobre relacionamento eu namoro a 3 anos e meu namorado nunca sai comigo so me promete to entrando em depresao com isso nao sei o que faço por favor doutor me ajuda

    ResponderExcluir
  56. Doutor, por favor me responda, alguém com sindrome de borderline seria capaz de fazer uma faculdade de psicologia sem sofrer? e sim aprender, entender sua própria doença?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se alguém com sindrome de borderline seria capaz de fazer uma faculdade de psicologia sem sofrer? e sim aprender, entender sua própria doença???

      Não sei se sei responder isso...

      Excluir
  57. Tenho Transtorno de Personalidade Esquizóide, por isso sempre fui uma pessoa distante, que nunca apreciou relações íntimas. Nunca tentei namorei nem ficar com ninguém.

    Nunca senti atração sexual por ninguém. Na verdade, sou heterossexual, sempre achei meninas gostosas e me masturbo pensando em mulheres, mas nunca senti vontade de ter uma relação sexual.

    Até que hoje eu resolvi experimentar o sexo com uma garota de programa e foi uma experiência horrível. Ela me recebeu na casa dela com a maior simpatia do mundo, como se eu fosse o amor da vida dela. Tomei um banho e fomos para a cama. Ela fez sexo oral em mim, e eu não consegui ficar excitado. Pedi para ela parar e fiz sexo oral nela, e nada. Depois ela voltou a fazer sexo oral em mim, e eu não conseguia ficar excitado de jeito nenhum. Aí ela parou e disse "Desculpe, não posso fazer mais nada por você". Paguei para ficar uma hora, mas não durou nem 20 minutos.

    Não entendo porque isso aconteceu. Quando eu me masturbo, consigo manter a ereção tranquilamente, mas com ela não consegui, mesmo ela sendo muito linda e gostosa (R$ 300).

    Será que tem algo a ver com o emocional?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pelo jeito, você se deu um outro Nome Próprio (esquizóide). Sendo assim, você ficará forçada a sempre se parecer com alguém com Transtorno de Personalidade Esquizóide. EM minha experiência em clínica nunca achei quem se encaixasse perfeitamente nesses quadros do CID-10 e DSM-IV. O ser humano é peculiar. Livre-se desse título doentio.
      Não vou continuar a ler a pergunta.... você já prendeu a si mesmo com um nome... assim, não há muito o que fazer...
      Abraços...

      Excluir
  58. Doutor, ultimamente tenho passado por uma dúvida angustiante. Há meses venho me relacionando com um homem (sou uma mulher madura, mas ele é um pouco mais jovem que eu), porém ele me diz que nunca se apaixonou por alguém e creio que por mim também não está apaixonado. Ele diz também que enjoa das pessoas com facilidade e sinto que ele está se afastando de mim. Então, eu que sou uma pessoa romântica e carente sofro muito com isso. Agora, me responda por favor, doutor: é possível um homem ser tão carinhoso e atencioso quando está comigo mas não sentir nada por mim? Existem mesmo homens que não se apaixonam? E o fato de ele não conseguir levar por muito tempo uma relação, seria sinal de imaturidade? Tenho me sentido muito angustiada com isso, já passei por muitos problemas na minha vida, como desrealização, s. pânico, depressão, e sempre lutando sozinha. Então gostaria muito de entender o que se passa com ele pra eu poder agir corretamente, pois sou muito ansiosa.
    Muito obrigada e aguardo sua resposta.
    Luiza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim.... é possível...
      Imaturidade em certo sentido sim...

      Excluir
  59. Doutor me ajude, gosto muito de um rapaz ficamos uma vez mais ele não correspondeu, nao quis compromisso disse q eu sufoquei ele e que ele não estava pronto, eu não consigo esquece-lo sei que nã vale a pena mais por causa da expectativa que depositei no relacionamneto ta dificil esquecer..não entendo os homens doutor me dê umas dicas de como devo agir para não espantar um homem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra não espantar os homens, só sendo outro homem!
      Brincadeiras à parte, se você acha que espanta os homens, sei que você mesma já sabe o porquê...

      Excluir
  60. Olá Dr. Sou mulher. Quando criança, 9 anos, fui abusada sexualmente por meu pai adotivo, na epoca era muito apegada a ele. Minha mae adotiva soube, mas mesmo assim continuamos a morar juntos. Desde entao n converso mais com ele, apenas o essencial. Hj tenho 25 anos e tenho problemas com relacionamento, n tenho amigos, as pessoas me julgam estranha. Vivo isolada....não confio em ninguém, sofro muito com isso. Sou assim por causa desse abuso, o que tenho q fzer? Obrigada doutor.

    ResponderExcluir
  61. Boa noite doutor !
    Tenho uma amiga que eu me relaciono bem, às vezes escuto coisas negativas dela mas não rebato nada do que ela fale.
    Sempre que pudemos saiamos para bares, lanchonetes, restaurantes, baladas etc.
    Somos felizes nesses lugares e nunca tivemos problemas algum.
    De vez enquando ela opina sobre minha vida o que devo fazer, sobre meu carro que ele vai dar problemas, os papos às vezes são meio negativos por parte dela. Eu ao contrário sempre estou a apoiando nas decisões que ela tem.
    De vez enquando ela insiste em afirmar que vai em determinados lugares e acaba ficando em casa.
    Gostaria de saber segundo a psicologia o que ela tenta afirmar e porque tem essas atitudes comigo já que somos amigos ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez a extrema intimidade que agora você reclama pela proximidade extrema...
      Talvez você tenha sido íntima demais e agora desiste disso...

      Excluir
  62. ESPOSA DESESPERADA10 de agosto de 2012 08:42

    Bom dia! Há um ano + ou - Meu esposo estar deprimido,e só descobrir dia 06/08/12 ,quatro dias atrás. Ele disse que não consegui conversar com as pessoas,pq sem que queira os seus olhos vai para as partes intimas das pessoas,tanto homens e mulheres,sem desejo e sem explicação.Ele fica com muita vergonha e constrangido e sem assunto ,pois ele acha que as pessoas percebem,tenta evitar e não consegui tem medo de pensarem que ele estar com malícia
    e pensa em ficar em casa isolado para não cometer esses atos e não consegui dormir, tem insônia já pensou até tirar a vida o que será? o que causou, o que fazer, como ajuda-lo,sou evngêlica e amo muito meu marido e ele nos ama também,temos 4 filhos.CONHECE ALGUÉM COM ESSE PROBLEMA? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom... é difícil ter o que dizer quando não é o próprio quem traz a queixa. É complicado isso. O máximo que me sobra para dizer é: procurem um profissional. Contudo, a motivação para terapia deve vir do próprio...

      Excluir
  63. Olá Dr. Marcelo, sou uma adolescente de 16 anos, e gostaria que o senhor me explicasse quais são os principais sintomas do Transtorno Bipolar, suas causas, e também se ele é hereditário.
    Enfim, tudo o que o senhor puder me dizer a respeito deste transtorno me ajudará muito! Obrigada (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, acho que não escrevi nada sobre isso no site. Creio que deve ter vindo pra cá procurando algo sobre. Sugiro procurar pela internet porque foge à proposta dessa coluna.

      Excluir
  64. Olá :) Sou Lílian e moro em Manaus.

    Tenho duas perguntas:

    1. Qual a importância das neurociências para a formação do psicólogo?

    2. As neurociências poderão um dia anular a prática da psicologia, bem como da psicanálise?

    Aguardo a resposta e tudo de bom para vc :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui tem uma excelente resposta (os alunos de Psicologia adoram)...

      https://www.google.com/search?sourceid=chrome&ie=UTF-8&q=Qual+a+import%C3%A2ncia+das+neuroci%C3%AAncias+para+a+forma%C3%A7%C3%A3o+do+psic%C3%B3logo%3F

      Excluir
  65. Olá boa noite, gostaria de uma ajuda on line, o meu problema é que quando eu vou fazer sexo com a minha namorada, eu fico muito ansioso e angustiado, e por conta disso eu broxo, eu fico muito mal, gostaria de uma alternativa para sair dessa, agradeço pela a resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça as suas preliminares com ela. Converse e combinem algo. Pode ser brincadeiras sexuais para diminuir isso.

      Excluir
  66. quero fazer uma pergunta sobre relacionamento eu namoro a 3 anos e meu namorado nunca sai comigo so me promete to entrando em depresao com isso nao sei o que faço por favor doutor me ajuda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está entrando em depressão porque seu namorado nunca sai com você?
      Pelo jeito você vai ter muitos motivos para sempre estar em depressão. O mundo nunca é do jeito que a gente quer...

      Excluir
  67. Dr Marcelo,estou triste,com o coraçaõ apertado por ñ saber o que esta acontecendo com minha filha.
    Tenho três filhos,uma moça de 22,um rapaz de 15 e a caçulinha que fará 10 anos no final desse mês,o problema esta sendo com ela!
    Nessas férias de de julho ela estava muito deprimida e preocupada,a peguei várias vezes chorando,e ao besabafar me disse que tem medo de crescer,nem ela sabe o porque!Achei que ao retornar às aulas isso fosse passar,mas ñ,ela ainda continua triste.
    Penso que talvez seja por estudar em uma escola particular,pois o ensino é puxado,mas ela é uma ótima aluna,as notas são as melhores.Conversei com a diretora,ela tmb ñ soube o que dizer.
    Será que é pelo fato dela estudar em um colégio pequeno? Para o Sr ter uma idéia,na sala dela tem apenas quatro alunos sendo que ela é a única menina e a professora é a mesma ha quatro anos,uma certeza eu sei,todos gostam muito dela!
    Ou será que é porque ela é muito apegada comigo,todo instante me abraça,diz que me ama.Ela ñ quer que eu trabalhe fora,pois só confia em mim para fazer os deveres de casa,estudar para as provas,enfim...
    Nós somos muito amigas,preciso ajudá-la!
    O que o Sr acha?
    Desde já te agradeço a atenção!

    Ass: Mãe.

    ResponderExcluir
  68. Parece, parece, depressão. Não afirmo nada. Ela precisa da ajuda de um profissional...

    ResponderExcluir
  69. [EDITADA PELO MODERADOR DO SITE PORQUE PARECEM SER PERGUNTAS DA MESMA PESSOA]
    minha filha tem 21 anos e estressada e nervosa briga comigo com o pai com o marido nao aguento mais as vezes acho que ela ta ficando louca a maioria das vezes e uma menina muito boa se estiver tudo bem com ela porque se tiver algum problema comece a chorar a grita e dizer que nimguem gosta dela nem omarido estar aguentando mais o que devo fazer por favor mim ajude o que eu faco pra ajudala briga fala e so sabe pedir desculpa nao acredito mais nas desculpas dela por favor mim ajude o que devo fazer .
    -----------------------------------
    tenho uma filha muito nervosa brigona e sempre acha que e dona da razao ja conversei muito com ela mais nao adianta na hora ela escuta os conselhos mais na hora de agir age como como fosse crianca ela tem 21 anos nao tem pasciencia com nimguem maltrata todo mundo eu seu pai e ate seu marido nao sei mais o que fazer por favor mim ajude as vezes acho que ela esta ficando louca mais a maioria das vezes e docil ela nao sabe lidar com os problemas ela se estressa e fica falando que nao aguenta mais que nimguem a entende por fvor o que eu oosso faser para ajuda la obrigada .

    ResponderExcluir
  70. Bom, não dá para ajudar você.. quem trouxe a queixa foi você e não a sua filha...

    ResponderExcluir
  71. cmo faço pra le dar cm pessoas possessivas que figem ser calmas mas na hora que explodem paresce uma bomba.que tipo de pessoa e essa para o psicanalize e uma pessoa doente? corro risco.por favor me ajude.
    D.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei.... não dá para saber se você corre risco. Poderia aqui explanar sobre os possessivos, mas você poderia levar ao pé da letra e achar que funciona para todos os casos. Sugiro conversar com pessoas próximas a você e a tal pessoa.

      Excluir
  72. Bom dia Dr. Marcelo. Tenho 21 anos e namoro há um pouco mais de dois anos. Fiz uma coisa que não é legal... entrei no [EDITADO PARA: perfil da rede social] do meu namorado, e descobri coisas horríveis que ele fez, e estou a ponto de terminar o relacionamento. Mas estou com vergonha de dizer que "fuxiquei" o facebook dele, e é a segunda vez que algo desse tipo acontece. Por favor, peço uma ajuda em que atitude devo tomar.
    Obrigada!
    M.L.

    ResponderExcluir
  73. Bom, você descobriu... não tem como negar que sabe de algo comprometedor. Creio que identificou um erro dele com um outro erro seu que foi a invasão de privacidade. De qualquer forma, houve desconfianças para que você entrasse no perfil dele. Agora, será que você é do tipo desconfiada, que acha que sempre perderá o homem amado e é insegura? Ou foi uma atitude devido às circunstâncias do relacionamento atual?

    ResponderExcluir
  74. Oi Marcelo, eu estou em um relacionamento onde ambos se amam muito, disso não há duvidas. O meu namorado já sofreu muito em relacionamentos passados. Dias atrás eu menti para ele, foi uma mentira boba, coisa tipo ele querer saber se eu tomei aquela ultima cerveja da geladeira eu falar que não tomei e no outro dia falar que tomei. Entendeu? Pra mim foi algo tão bobo e sem importância que de fato nem percebi ter falado que não tomei e depois falar que tomei. Entendeu ?
    Porem para ele, foi algo horrível, algo que fez ele querer terminar, tudo isso por medo de sofrer o que ja sofreu em relacionamentos passados por conta de mentiras e outras coisas.
    O que faço pra nós ajudar ?
    Esse medo dele tem conserto?
    Me ajuda ?



    Obrigada desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. "Dias atrás eu menti para ele, foi uma mentira boba, coisa tipo ele querer saber se eu tomei aquela ultima cerveja da geladeira eu falar que não tomei e no outro dia falar que tomei. Entendeu?"

      Tem medo dele? Ou você repete compulsivamente comportamentos dos quais se envergonha?


      "Porem para ele, foi algo horrível, algo que fez ele querer terminar"

      Terminar por uma bobeira dessas? Ele usa confortavelmente a desculpa de 'traumas em relacionamentos anteriores' para te manter refém dele?


      "O que faço pra nós ajudar? Esse medo dele tem conserto?"

      O medo é dele ou seu? Parece que você é dependente dele e você é quem teme o término...
      Esse discurso de "traumas de relacionamentos anteriores" sempre deixa algum refém no relacionamento...

      Pense quais são os reféns nisso tudo... Um refém não tem liberdade, não fala o que pensa, age no automático, sempre pensa muito antes de agir, e etc...

      Excluir
  75. Nossa Marcelo, tudo que você falou é verdade.
    Medo dele não tenho, mas tenho medo da gente terminar.
    E eu repito sim uns comportamentos que depois fico com vergonha, um deles e chorar muito na frente dele (tento segurar mas não dá)
    Ele diz que me ama mas tem medo de sofrer outra vez como no passado, então ele quer terminar e usa isso??
    Eu pensei, e o refén disso sou eu, e eu acho que ele é refén dessa coisa do passado dele, e de fato eu as vezes tenho medo de falar o que penso, tenho medo de machucar ele porque não quero ser mais uma que fez ele sofrer, acho que eu vivo no automático e de fato sempre penso muito antes de falar e agir com ele, tudo isso porque ele se prende nesse passado dele, diz que não qer sofrer outra vez e eu sou super cautelosa com ele simplesmente porque não quero ser mais uma que fez ele sofrer.
    Eu quero lutar por ele, pensei até em chamar ele pra gente fazer uma terapia de casal, mas não sei como falar isso, nem como ele vai encarar :x

    Você ta me ajudando muito, obrigada.

    ResponderExcluir
  76. Esse medo não é o temor apavorante, é o medo de receios que você cita aqui: "sempre penso muito antes de falar e agir com ele". Esse é um tipo de medo. Aí não há liberdade e nem espontaneidade.

    "Ele diz que me ama mas tem medo de sofrer outra vez como no passado, então ele quer terminar e usa isso??"
    Disso não se dá para saber, apenas desconfiar. Em relacionamentos assim, sempre há reféns.

    Quanto à terapia de casal, tente. Abra-se e diga o motivo da terapia: seus sentimentos reais por ele.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  77. Em certas ocasiões eu sinto essa fala de lberdade e espontaneidade, já em outras é totalmente ao contrário.
    Ele fala em amor mas fala em terminar pra não sofrer lá na frente e triste ouvir isso, me sinto um nada, sabe?!
    Eu coloquei em minha cabeça que vou tentar de tudo pra gente ficar juntos e felizes, porque esse medo está atrapalhando eu e ele.
    Vou falar com ele sobre a terapia.
    Obrigada, abraço ><

    ResponderExcluir
  78. Olá Dr Marcelo, sou uma Mulher que no momento vive uma situacão um tanto problemática com minha parceira, possuo um relacionamento onde o individuo sofre de amor platônico.Quais chances possuo de conquistar o amor de uma pessoa que sofra desse mal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, não sei o que você chama de amor platônico. Há quem diga que esse tal amor é um amor sem sexo, outros que seria um amor não-correspondido e avassalador!
      Também não entendi quem sofre dele, se você ou a pessoa. Porque na pergunta você quer conquistar quem sobre do amor platônico, nesse caso, não seria necessário né?

      De qualquer forma, pra conquistar uma pessoa não há receitas.... A conquista se baseia em fantasias. E quando um se encaixa na fantasia do outro, logo há desejo, paixão, sexo e amor.
      Creio que uma receita-pronta para conquistar o amor de quem quer que seja é mera utopia...
      E por que acreditamos que existam tais receitas?

      Excluir
  79. Olá Marcelo, parabéns pelo site.
    Eu tenho 18 anos e faço tratamento com psicólogo há 10 meses. Fui diagnosticado como portador de Transtorno de Personalidade Borderline; meu tratamento tem relacionado terapia cognitiva comportamental e metanálise. No entanto, eu não pratico auto mutilação como muitos sites relatam, então eu queria saber se realmente existem borderlines que não fazem auto mutilação ou se meu psicologo pode ter se enganado com o diagnóstico? Além disso, gostaria de saber se esse tratamento que estou fazendo é o mais adequado a este transtorno?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, e parabéns para você que está engajada(o) numa terapia. Bom em primeiro lugar, é difícil pra mim emitir qualquer opinião sobre seu tratamento, tanto porque não a entrevistei, quanto porque é antiético emitir opiniões sobre tratamentos já efetuados por outros colegas de trabalho.
      Em segundo lugar, saiba que os caminhos psicoterapêuticos são múltiplos e todos obtêm êxitos distintos. Tudo depende muito mais do preparo e do profissionalismo do psicoterapeuta do que da técnica em si. Caia fora dessa opinião difundida de que existem tratamentos específicos para determinados quadros. Nem mesmo pra nós profissionais fica tão claro isso. Geralmente essa é uma opinião difundida por outra classe: a médica!
      Em último lugar, se você procura um outro psicólogo para fazer perguntas sobre seu tratamento, é porque algo está errado. Sugiro levar esse incômodo para sua terapia a fim de conversar com seu psicólogo.
      No mais, continue no caminho e não compre essa ideia de que para problemas psicológicos existem receitas mágicas e rápidas para a 'cura'.
      Geralmente falo pra meus pacientes apressados - se os aceito para terapia - que o tratamento é demorado e que se eles querem rapidez e milagres que procurem ou uma igreja ou um livro de autoajuda e entregue o controle de sua psique a esses eventos.
      Continue e persista.

      Excluir
  80. Como vai Marcelo, tudo bem?
    Estou noivo de uma garota há um mês, e tenho notado CLARAMENTE que ela passa por várias dificuldades e transtornos mentais, sob diversas formas de manifestação. Ela tem desenvolvido um ciúme extremamente exagerado, sem precedentes, cria casos na mente dela nos quais eu tenho a traído com a irmã dela. E tudo isso é mentira. Ela sente ciumes de praticamente TUDO, eu não posso visitar minha mãe, ela não pode ver nenhuma mancha no meu corpo porque já pensa que foi feita por outra mulher. Não posso tocar violão, fazer algumas coisas que gosto, e nem dormir às vezes, porque tudo é motivo de ela pensar que estou a deixando de lado. Quase tudo tem de ser como ela quer, ou ela fica entediada. Eu a amo de verdade, mas esse lado psicótico dela está destruindo nosso relacionamento. Já tivemos conversas muito sinceras sobre isso e ela admitiu que tem muito medo de ser enganada por mim, como já foi outras vezes, e tem complexo de inferioridade a respeito das irmãs dela, ela se acha sempre pior. Pra você ter uma idéia no inicio do nosso relacionamento ela não conseguia nem me olhar nos olhos, por timidez extrema. Nos conhecemos pela internet. Eu consigo enxergar a pessoa maravilhosa que existe por detrás destes problemas, por isso não a deixo e quero muito ajudá-la, pois ela merece essa atenção. Além de tudo isso ela me relata sonhos perturbadores, alucinações, mania de perseguição e sempre acha que alguém está querendo fazer mal a ela. Uma coisa sei, na família dela ninguem a respeita e lhe dá o devido valor, como pude observar. Será esse o motivo disso tudo? Ela tem problemas para comer, sair de casa durante o dia e se relacionar, as vezes até comigo. Como posso ajudá-la, que coisas posso fazer? Desconfio que ela esteja com esquizofrenia. Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, essa é a sua percepção dela.
      A melhor maneira de uma pessoa se ajudar é terapia.
      Não há o que fazer fora isso.
      Mas como disse, ela pode não entender isso como um necessidade.
      ;)

      Excluir
  81. Entendo.. mas há alguma maneira certa da qual eu possa tratá-la, pelo menos para que ela se sinta mais segura, alguma forma de convencê-la a fazer uma terapia? Estou preocupado, porque por causa de uma crise de ciúmes esses dias ela ameaçou suicídio e foi preciso inclusive que eu a segurasse para que ela não fosse até o rio. Ficamos até 4h da manhã na rua! Foi preciso muita conversa para acalmá-la. Obrigado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As ameaças de suicídio podem ser blefes e ou verdades. Não se sabe, só mesmo em terapia para identificar a finalidade da ameaça. Mas de qualquer forma, a ameaça é uma tentativa de manter o controle sobre você, é uma forma comportamental aprendida que deveria ser questionada.
      Parece que você está refém nisso. Assim sendo, o convencimento para a terapia pode acontecer como um favor a você e não como uma necessidade reconhecida por ela. Contudo, mesmo assim, é importante a visita a um bom profissional. Não pense em economizar com o profissional, talvez você só tenha uma chance de sucesso.
      Sua presença em terapia é produtivo, pois você está envolvido de alguma forma.
      A maneira mais adequada de convencê-la é conversa. E para isso não se tem formas infalíveis.

      Excluir
  82. Olá, Dr. Marcelo! sou mulher, tenho 21 anos nunca senti e nem sinto atração por homens, e muito menos por mulheres posso ser assexual? PS: Nunca sofri abuso sexual na infância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Psicanaliticamente falando, a sexualidade está atrelada às identificações familiares e às suas fantasias inconscientes oriundas disso.
      A falta de atração por pessoas está relacionado a essa identificação familiar. Posto isso, excluímos as hipóteses neurológicas e psiquiátricas que tanto nos assombra e assola e nos ajuda a entender seu desejo.
      Rotular-se como assexual não é tão inteligente. Pois apesar de a identificação ser o promotor de sentidos em suas relações, é possível mudanças estruturais em sua personalidade. Pode ser que você seja arrebatado em algum dia por alguma pessoa e você se assuste com isso. Logo, devemos excluir o nome assexual. Essa é uma condição sua até aqui e não uma identidade.
      A falta de desejo sexual pode ser uma defesa sua inconsciente impercebida. Pode ser um desejo reprimido ou mesmo ausente.
      O que deve motivar uma análise é a sua reação frente a tal ausência de desejo, e não a própria ausência de desejo sexual.
      Se isso te incomoda, procure análise, caso contrário, viva, pois você não pode ser rotulado com uma suposta 'doença'!

      Excluir
  83. Olá MArcelo! sou mulher e tenho + ou - 30 anos estou completamente apaixonada pela minha psicologa, o que devo fazer? A cada dia que passo quero essa mulher como nunca quis outra. Sabia que até flores já enviei para o consultorio dela junto com um bilhete dizendo que estou apaixonada por uma pessoa e outras coisas mas, só que não disse que era por ela. Então, na consulta anterior ela perguntou o qual o motivo das flores? eu disse era o que estava escrito no bilhete, estou apaixonada por uma mulher que é minha colega de trabalho, mas menti é claro, pois é por ela que estou apaixonada. Será que ela acreditou? será que devo contar a ela? o que devo fazer, pois ela é muito profissional, não me dá nenhuma esperança, apenas disse: a conquiste. me ajude por favor. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por questões éticas, vou me abster de responder a essa pergunta.

      Excluir
    2. Pocha... Eu até endendo, mas gostaria de uma orientção apenas... Aguardo!

      Excluir
  84. Dr. Marcelo, você acha que gostos musicais, religiões diferentes podem atrapalhar um relacionamento? Por exemplo, eu gosto de MPB logo sempre vou para shows musicais desse estilo tenho um namorado que não gosta e aí? quanto a religião,daria certo uma católica praticante namorando um espírita que frequenta centro espírita sabemos que não existe conflitos entre Católicos e Espíritas, mas doutrinamente falando, a incompatibilidade entre Espiritismo e Cristianismo é quase que total.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostos e religiões atrapalhar um relacionamento? Em tese não deveria. Aliás, mesmo com gostos e religiões iguais, somos totalmente diferentes! No relacionamento precisamos saber lidar com a diferença.
      Há casais que coadunam com quase tudo, mas não se dão bem.
      Creio que o desafio do casal é o manejo da diferença, seja qual tipo de casal for.

      Excluir
  85. Dr. Marcelo, eu sou a Anônima do comentário referente a "Assexualidade" obrigada pela resposta! o que mais me incomoda nessa questão, é pensarem que sou lésbica pois, nunca namorei com quase 22 anos faço psicoterapia mas ainda não falei disso com ela vou levar o assunto na próxima sessão minha terapeuta segue a abordagem sistêmica.

    ResponderExcluir
  86. Minha filha tem um ano e 7 meses e tem pavor das pessoas, só fica com as pessoas de casa,até com dos vizinhos ela têm medo, e nunca aconteceu nada pra deixá-la traumatizada é um medo sem causas.Gostaria de saber se isso é só uma fase ou não é normal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma causa existe, mesmo que não esteja à altura do que você considera traumático. Pode ser alguma identificação com algum melindroso da família, alguma reação a algo visto ou defesa a algo acontecido com ela.
      A pressão e os comentários referentes ao comportamento dela na frente dela mesma, podem piorar a situação. Ajam com naturalidade e procurem um psicoterapeuta infantil para dirimir eventuais dúvidas.
      Ressalto que eventos na tenra infância forjam personalidades e algo identificado precocemente tem bons prognósticos.

      Excluir
  87. Dr. Marcelo,
    Tenho questionado algumas coisas sobre mim mesma, e uma delas diz respeito à vontade individual. O que influencia uma criança a desenvolver vontade ou "força de vontade " baixa, média ou alta: punição, medo, gratificação, frustração, nível de tolerância à dor emocional? Isto algo inato da pessoa? Muda durante a vida este nível? Como?

    Muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua pergunta está confusa. Não sei se você é adulta ou criança... quem sabe essa dúvida não é sua também?!
      Está com depressão? Medos? De quê?
      Saiba que isso não é inato.
      Os seres humanos mudam o tempo todo.
      Mas parece que você quer ser a mesma, já que busca uma receita pra mudança... Parece contraditório, mas não é.
      Ao localizar em alguém a receita para sua mudança, você diz que não pode mudar por si mesma.
      Busque ajuda profissional, parece que você está precisando de um suporte.

      Excluir
  88. ola boa tarde?é o seguinte to passando por um momento muito dificil em uma relaçao,e ja percebi q sao situaçoes e coisas criadas por minha mente ou seja eu nao consigo ter confiança e me sinto inseguro minha mente trabalha repetitivamente o dia inteiro a mesma coisa o sr acha necessario fazer um yratamento?pois tem dias q penso q vou enlouquecer de tanto pensar amesma coisa me ajude por favor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, considero necessário.
      Você está com pensamentos obsessivos e atitudes compulsivas produzidas por uma maneira de ver-se em relação ao desejo do outro.
      Pra você outro é aquele que sempre abandona e você se põe na posição de abandonado.
      Essas posições podem mudar em terapia.
      Invista e insista...

      Excluir
  89. Acabei de terminar um namoro de 2 anos com aquele que considero o homem da minha vida. Eram muitas brigas, apesar de nos amarmos.
    A iniciativa de terminar foi dele, mas eu também achei que fosse o melhor, mesmo contrariada... Ele havia batido telefone na minha cara, parecia distante, facilmente se irritava comigo... Mas sempre se desculpava e dizia me amar.
    Terminamos e depois de 3 dias, fiquei com outro... O que pega é que durante esses dias de término, continuamos nos falando, dizendo que nos amávamos , que não poderíamos ser felizes sem o outro e coisa e tal... Eu disse a ele que não ficaria com ninguém, pois ainda o amava. Que quando o fizesse, estaria esquecendo-o... Enfim, deixamos uma coisa no ar.
    Só que num dia difícil, 3 dias depois de terminar, acabei ficando com outra pessoa. Eu não queria, não foi bom... Mas fiquei. Aconteceu. Eu estava me sentindo rejeitada por ele, achei que ele não me amava mais... E rolou. Liguei pra ele dois dias depois e ficamos conversando. Ele pediu pra eu deixar ele me chamar de amor de novo, eu disse que podia... Ficamos dizendo "eu te amo" até altas horas da madrugada. Tive certeza de que ele realmente gostava de mim, mas aí ja tinha feito a burrada... No dia seguinte contei a ele que havia ficado com outra pessoa e ele não quis mais saber de mim. Me tratou muito mal. Disse coisas horríveis... E nenhuma das minhas explicações o acalmaram ou o fizeram relevar.
    Ele não entende porque fiz isso.Ele diz que deixou claro que me amava nos dias em que estavamos separados e que minha tristeza não é desculpa. Porque disse que o amava num dia e fiquei com outro no outro (isso é literalmente. Disse coisas pra ele num dia e fiquei com o carinha no outro). Diz que não ficou com ninguém porque ainda me amava, que o que eu fiz não tem nome, que quis machucar ele... Eu digo que tava triste, que foi ele quem terminou, que o amo, que quero voltar, que agora acredito no amor dele, que fui tola em duvidar... Mas ele não aceita. Me trata mal. Tem raiva, tem mágoa...
    Eu o amo de verdade. Eu admito que errei. Não sei o que fazer... Choro o tempo todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relacionamento enérgico... há impulsividade em vocês. Raiva. Mágoas. E parece serem sentimentos relativamente antigos...
      Como pode uma pessoa amar e terminar? Será que se confunde amor de amigo com paixão?
      Será infantilidade em lidar com emoções e com o desejo do outro?
      Será? O que será que será?
      Já era.... foi..
      Foice...
      Cortou-se...
      Enquanto não amadureceu...
      Já era...
      Pois foi...

      Então, o que você vai fazer agora? Hum?

      Excluir
    2. Ninguém se responsabilizará por decidir sobre o seu desejo....

      Excluir
  90. sou viciado em pornografia . oq ue devo fazer procurar um psicologo ou psiquiatra ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vício em pornografia deve ser cuidadosamente analisado para identificar alguns fatores intervenientes tais como a relação que se estabelece com o vício, a fase de sua vida, sua idade, a frequência, a sua estrutura psíquica.
      O mais importante não é focar nisso como um sintoma problemático em si, mas evidenciar outros aspectos de sua psique para identificar a forma de relação que você estabelece com a pornografia. Pois há o risco de um profissional tratar uma fase da vida como sendo uma psicopatologia em si mesma. A diferença é que sendo uma fase da vida, vai passar com o seu desenvolvimento. Por outro lado pode ser um vício que independe de outros fatores e sobre o qual você não possui nenhum controle e tende a prejudicar outras dimensões da sua vida, tais como social, escolar, profissional, etc. Nesse sentido, uma análise por um profissional se faz mais adequada e que esse profissional seja psicólogo ou psicanalista. Não existe essa possibilidade de remédios ministrados por psiquiatras para tratamento de vício em pornografia.

      Excluir
  91. Dr. Marcelo, disfunção hormonal pode ser a causa da falta de desejo sexual e libido em uma mulher jovem? é recomendado a ida em uma ginecologista e psicóloga ao mesmo tempo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, pode ser... dependendo da idade ou de algumas disfunções pode sim. Procure esses dois profissionais.

      Excluir
  92. o que faço para me aproximar mais da pessoa que amo, ele se afastou de me e acho que sou culpada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que estamos diante de uma pessoa que tem uma patologia de querer atrair o desejo do outro porque nunca se sentiu amada por ninguém ou apenas é uma pessoa que errou no relacionamento e que precisa pedir desculpas?

      Excluir
  93. ja tem 4 anos que fico com um cara,quando ele me dava mais atenção,eu nem ligava hoje que quero atenção ele se afastou de me e não sei como reverter esse quadro,estou me sentindo muito perdida ficarei grato pela sua resposta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda vez que se pede uma receita para atrair o desejo do outro é um problema. Sera que estamos lidando com uma pessoa que anulou a própria vida para a missão de atrair o outro de forma doentia?
      Pense nisso. Ou siga sua vida em frente.

      Excluir
  94. Olá! Sou casada a 2o anos e tenho uma vida boa, terminamos a faculdade, somos funcionários públicos, mas de alguns anos pra cá meu marido não me compreende mais, qualquer coisa banal é motivo para ficar irritado e fala com o nosso filho adolescente q é para ele não casar.Isso me incomoda muito pois demonstra que está insatisfeito com algo. Já tentei perguntar mais responde que o jeito dele é assim. Ele demonstra no dia a dia me amar e no sexo estamos ótimos, mas o que falta é o diálogo e a compreensão. Me ajude será que meu marido não gosta mais de mim ou está acostumado com a nossa vida? As vezes perece que ele queria estar solteiro!Já cheguei a pensar que ele é bipolar, pois tem transtornos de personalidade, um dia esta alegre outro nem posso chegar perto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele está insatisfeito com alguma coisa? Culpa dele ou sua que é distraída com seus erros no relacionamento? Se ele não conversa fica difícil. Procure sondar amigos próximos para ver se ele disse algo, mas você estará correndo o risco de achar o que não quer e até mesmo de ele ficar aborrecido com isso.

      Excluir
  95. Olá, Dr. Marcelo. Eu posso fazer mais de uma pergunta? Hoje, estou mais interessada em falar de outra pessoa do que de mim, mas um outro dia acho que falarei do meu caso.

    Enfim...

    É possível uma pessoa sorrir a maior parte do tempo que está com você, recebê-lo em sua casa com um sorriso largo, fazer piadas, falar de problemas pessoais, abraçá-lo apertado espontameamente, e tudo isso durante anos; pra no final dizer que fingiu o tempo todo e que sempre quis distância de você? Recapitulando... É possível fingir tanto assim? É possível parecer tão feliz por tanto tempo ao lado de alguém por quem nada se sente?

    ResponderExcluir
  96. Oi Dr. Tenho filhas gêmeas elas tem 16 anos, porém uma delas tem uma baixa estima elevada, ela se acha feia, magra, não tira fotos e acha que a irmã e linda. Quando tento aconselhar só piora a situação. Sinto que a irmã se anula um pouco por causa dela, pois a mesma pede as colegas que não a elogiem diante dela para não dixa-la triste, se ela for tirar fotos ela desiste para não irritar a irmã. Até no facebook ela tem dificuldade para conversar com os amigos pois ela acha qu eles não gostam de conversar com ela e sim com a irmã dela. Será que é necessário acompanhamento psicológico, Pois pensei que fosse uma fase e que passaria mais ela já está com quase 17 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É você disse bem, precisa de acompanhamento psicológico. Já relatei nessas páginas alguns motivos de timidez de adolescentes.

      Excluir
  97. Dr.Marcelo, Devo dizer a minha mãe que sou Gay?
    Tenho 35 anos de idade, nasci em lar evangélico(CGADB) atualmente frequento com minha mãe a (IIGD)desde criança sinto atração homossexual, já jejuei muitas vezes orei fiz campanhas e nada de me libertar, nunca tive relação sexual nem com Mulher nem com homem, só já dei amassos e masturbação múltua,nunca fiz nem fui penetrado, tenho vontade de fazer penetração, minha família desconfia de mim, só contei o que sinto a uma irmã, minha mãe tem 1 ano de viúva e está me sufocando, ela é compulsiva, acha que só ela está certa, é teimosa, tem problemas de saúde(osteoporose,diabetes,pressão alta,artrite,colesterol)é evangélica há mais de 35 anos, mas ´não entende nada de bíblia.

    M.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, essa é uma questão de decisão sua. Parece que você está com um grande desejo de falar e se libertar de uma pressão e da 'mentira' que vive. Isso é uma decisão sua.

      Excluir
    2. Dr.Marcelo, sou o mesmo da pergunta acima;
      Aproveitando a oportunidade, gostaria de saber, o que posso fazer pra me desapegar de minha mãe? Quando eu vou no centro da cidade, se demoro 1 hora de relógio, ao retornar ela diz; Meu filho aonde você estava?Eu estava já começando a ficar preocupada, pensando o que foi que aconteceu?
      A sobre a decisão, por enquanto vou continuar na mentira.

      Excluir
    3. Na verdade, é ela quem precisa se desapegar....
      Abraços!

      Excluir
  98. Olá, como vai Doutor?
    Bom, há 2 anos atrás, eu tive um momento de tristeza (uma possível separação dos meus pais com certa violência que me abalou muito), perdi totalmente a vontade de tudo, desisti de tudo e tentei ter uma overdose de remédios, mas não deu muito certo e só vomitei (mais ai ao longo do tempo as coisas voltaram ao normal, e meu estado emocional também).
    Ontem me veio novamente essa tristeza (mas só a sensação, SEM MOTIVO ALGUM pra eu estar triste), simplesmente me senti muito mal, uma solidão intensa (e meu maior medo é ficar sozinha sem nenhuma companhia, não em relacionamento ou família, mas a todos, como se todos me ignorassem), um profunda tristeza de tudo na minha vida, uma vontade de largar tudo, terminar namoro (não tivemos nenhuma briga nem magoa nem nada, tudo estando bem).
    Fiquei conversando com um amigo e depois de algumas horas melhorei.
    Geralmente, desde o inicio desse ano, tenho tido momentos de choro sem motivo. Mas sem chegar a ter vontade de cometer suicídio.
    Lembrando que isso ocorreu 2 anos atrás, mas ontem não tive motivo nenhum para tanto.
    L.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depressão... Vontade de morte... Traumas... Mágoas e ressentimentos... Vícios em drogas...
      Você, obviamente, está mal psicologicamente não acha? O que deveria fazer para intervir nisso? Não é um bate papo aqui que lhe trará a magia da cura...

      Excluir
  99. Tenho uma cunhada que não é muito legal comigo ou seja é falsa conseguir um trabalho e indiquei para ela também e ela conseguiu estamos fazendo treinamento juntas porém,percebo que ela estar pegando as coisas com mais facilidade,percebo que quando não entendo e pergunto ela fica com olhar irônico pra mim e muitas vezes fica mostrando-me que aprendeu,já estou com antipatia dela,as vezes acho que não vou conseguir aprender para poder desempenhar bem a função e fico querendo desisti,estou desanimada,ansiosa,com medo e insegura,baixa estima acho que não sou capaz,e tenho medo de ser pressionada pois quando me sinto pressionada não consigo raciocinar e faço tudo errado.
    M.S.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É você já tem uma teoria sobre você. Procure ajuda psicoterapêutica, por aqui não há milagres.

      Excluir
  100. Sou separada e tenho um filho de 2 anos e 11 meses e o pai dele pegou ele pela segunda vez pra passar o domingo, e ao perguntar para meu filho como foi lá, ele me disse que tava chorando e a mulher do papai bateu na barriga dele pra ele parar de chorar. Será que isso é verdade ou pode ser invenção do meu filho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não dá para saber... É provável que seja verdade, e é provável que seja uma invenção, mas não necessariamente uma mentira. Há crianças que aumentam e distorcem os fatos...

      Excluir
  101. ola, queria saber como devo me comporatr com pessoas que convivvo no meu trabalho que as vezes querem me humilhar e outras tem dia que falam comigo e tem dia que não falam, tipo parece que tem duas caras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, o ambiente de trabalho é assim mesmo. Fútil, às vezes competitivo e não amistoso. O importante é você fazer o seu e independente da alteração do humor das pessoas, você deve sempre se manter educado e polido. Agora por que querem te humilhar? Será um problema da organização ou você que não inspira confiança no que faz? É bom refletir nisso...

      Excluir
  102. Dr Marcelo, psicólogos e pacientes podem se tornar amigos depois que a terapia termina? existe alguma coisa referente ao assunto no código de ética da psicologia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há esse tipo de restrição no código. Contudo, está elencado no artigo 2º:

      Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:

      j) Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir negativa-mente nos objetivos do serviço prestado;

      Excluir
  103. Olá Dr. Marcelo. Parabéns pelo blog! Vejo que tem ajudado muitas pessoas com suas dúvidas e acredito que poderá me ajudar. Estou em um dilema num relacionamento e não sei o que fazer. Conheci uma pessoa e acabamos nos envolvendo. Ele tem o jeito afeminado, porém seu "histórico" é de relacionamento apenas com meninas. Com o tempo de relacionamento fui descobrindo que ele já fez terapias e acompanhamentos com psicólogo devido à quadros de depressão e ansiedade. Ele nasceu em um lar evangélico e por isso acredito ter tido "problemas" e sofrido preconceitos com seu jeito diferente. Seu ciclo de amizades é 98% feminino e isso me incomoda (não por ciúmes, mas por ser uma característica que gays normalmente possuem). Gosto dessa pessoa (sei que não a amo, mas ela me faz bem) porém tenho me sentido incomodada com tudo que citei. Caso ele tenha feito terapias para "mudar" sua escolha de homo para hetero (devido aos princípios da familia), acha que funciona? Ele pode realmente ser hetero apesar de todo jeito gay?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      Há meninos que possuem jeito efeminado sem necessariamente ser gay. Há casos em que o próprio menino não sabe dessa tendência em si e até mesmo a recalca por medo e receios.
      O caso de seu namorado é imprevisível. Não há como saber. Também é indelicado que você pergunte a ele sobre isso. Contudo, ele está se relacionando com você e responde a você como homem não é? Creio que isso é o importante.

      Excluir
  104. Dr. Marcelo, estou com dificuldades com meu filho, ele tem 2 anos e 9 meses, ele não obedece quando falamos normal so quando falamos em um tom de voz mais alto, e ele é muito agressivo.
    Gostaria que o senhor me orientasse de que eu devo fazer ou como fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, leve seu filho para um atendimento especializado. É impossível dizer alguma coisa sobre o seu caso sem uma anamnese com você, a criança e a família.
      Pode ser um caso onde necessite de ajustes na forma de educação, caso seja isso, será mais fácil a assessoria por um profissional. Contudo, ele precisará investigar o que está acontecendo.

      Excluir
  105. Olá, Dr.Marcelo, comecei a fazer psicologia ao 18 anos, logo depois me tornei cristã. Tranquei a facu, e pretendo voltar neste semestre. Mais estou meio confusa. Por que conheço uma pessoa que sofria de alguns transtornos, por 05 anos usava medicamentos e talks. Mais logo depois que ela se converteu, essas coisas pararam de acontecer? Seria conhecidencia? Estou confusa porque já me disseram que a psicologia e o evangelio não podem andar juntos.Seu texto me ajudou a ter um pouco mais de esperança de realizar meu sonho e não Desagradar a Deus ao mesmo tempo.
    Mais contudo ainda não tenho plena certeza de como usar a psicologia clinica sendo cristã.
    Se puder me esclarecer alguma coisa. Agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em linguagem simples: isso é balela, papo furado, senso comum, opinião infundada. De um lado, temos a proteção ética do CFP para que o psicólogo não catequize seu paciente; e de outro, temos a autonomia total de direção e processo da Psicologia frente à religiosidade. A terapia é um processo psicológico e se não houver diretividade, o terapeuta não influencia a vida religiosa do paciente. Essa dúvida na verdade é um preconceito dos próprios cristãos. De onde vem eu não entendo. Essa dúvida é forjada quando não se entende direito o que é a Psicologia e ou Psicanálise: temos a ideia de que vamos ficar dirigindo a vida do paciente, ledo engano! Quando se aprofunda os conhecimentos em Psicologia/Psicanálise, percebe-se que não precisamos da religião para exercer terapia, elas não se confundem de nenhuma maneira, a não ser na cabeça do próprio terapeuta mal formado. Agora, um paciente bem analisado, no caso de ser cristão, consegue desenvolver bem sua espiritualidade sim! Acredito nisso! Haja vista que a mensagem cristiana foi o doar-se e uma boa análise visa esses objetivos também. Agora, relaxe e se forme sem medo!

      Excluir
  106. Olá.... Há como uma pessoa bipolar e com problemas ajudar a outra pessoa usando a experiencia ou não??

    ResponderExcluir
  107. Boa noite!
    Dr. Marcelo Quirino tenho 39 anos sou casada com um homem separado que tem 2 filhos adolescentes, gostaria de saber como trata-los, como me relacionar com eles, pra que nos tornemos amigos e que tenhamos uma relação de afeto e respeito.

    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja você mesma e procure conversar e entrar no mundo deles. Mas não seja muito aberta às solicitações caso isso vá violentar o que você pensa de si mesma. Seja solícita, simpática, mas acima de tudo autêntica!

      Excluir
  108. Bom dia, doutor!
    Sou um homem maduro, tenho 53 anos, pai de cinco filhos, e avô de um neto, estou no terceiro relacionamento, porém, desde minha juventude venho praticando atos homoxesuais com travestis, e quando encontro-me só, sinto um desejo compulsivo por vestes femeninas as quais visto e passo a admirar as imagens no espelho! Devido a posição social a qual me encontro, nunca me revelei pra ninguém! O que faço? anônimo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assumir ou não a homossexualidade é sempre uma questão muito difícil e que precisa ser pesada com cuidado. Algumas perguntas devem ser respondidas: Esconder isso te incomoda? Você estaria mais leve se contasse e se assumisse? Você está feliz e satisfeito assim sem se assumir para os outros? Precisa realmente se assumir? O que isso vai mudar em sua vida? Enfim, pense e decida...

      Excluir
  109. Olá, Dr. Namoro a quase três anos, e meu namorado quer terminar ou "darmos um tempo", pois está deprimido e desmotivado. Diz que o relacionamento esfriou e não sente mais desejo. Nunca tivemos grandes conflitos, momentos desagradáveis, nem nos ferimos como motivos para um término, apenas nos esfriamos. Li o artigo "Quando o amor esfria", mas minha pergunta é, o que fazer para que ele não desista do namoro? Visto que tínhamos perspectivas de casamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim você quer controlar o desejo dele? Você precisa aceitar a decisão dele para que não sofra no futuro forçando-o a algo que não quer... Não acha?

      Excluir
  110. eu e meu marido estamos distantes não nos beijamos não saimos juntos muita critica muita briga e eu nem tenho vontade de ter relação sexual e já pensem em nós nos separarmos, o que devo fazer?

    ResponderExcluir
  111. eu e meu marido não nos beijamos mais, e eu nem tenho vontade de fazer sexo com ele e já sentimos que estamos distantes, já pensei em nos separar, o que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complicado isso não acha? Já conversaram? Você ou ele se casou por pressão e ou conveniência? Perderam o amor, ou nunca o tiveram? Pense nisso e depois procure conversar aberta e claramente com ele.

      Excluir
  112. Dr. Marcelo, fui diagnosticada com transtorno de ansiedade, já venho de uma luta de 4 anos, cuidando de estresse, depressão. Estou precisando de um bom psicólogo, mas estou desempregada e as sessões são caras, afinal já são 4 anos de tratamento. Na UERJ tem algum tipo de ajuda, com valores reduzidos?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, procure os setores de psicologia das faculdades. Eles têm serviço de psicologia comunitária. E também nos centros de pós-graduação em psicologia. Você pode fazer uma rápida busca pela internet. Não deixe de se cuidar. Procure ajuda!

      Excluir
  113. Olá Dr Marcelo, meu namorado é 11 anos mais jovem ele tem 25 e eu 36, mas não aparento a idade que tenho, parece que somos da mesma idade, namoramos a 4 anos sendo que ficamos 1 ano separados quando ele resolveu terminar para ficar fora do Pais 6 meses, sofri demais, mas no seu retorno, depois de um tempo procurei por ele e voltamos, 6 meses depois engravidei tomando pilula, ficamos assustados ele nao queria de forma alguma brigou muito pela minha decisão mas , veio morar comigo, agora estou de 9 meses e ele ainda não acredita que sera Pai, e vive jogando na minha cara que é muito novo e que eu tenho quase 40 anos, me trata com indiferença e quando brigo com ele que ele esta de cara amarrada ele melhora uns dias e logo volta a ficar mal humorado novamente, nunca diz que me ama, e quando pergunto de sentimentos ele diz que no começo amava , e que era apaixonado e que agora é diferente que gosta... apenas!! diz que ta difícil aceitar a nova vida que temos e esta indo no psiquiatra e tomando remédio para ajudar, acho um exagero ele agir com esse egoismo porque faço tudo para agrada-lo, sempre pronta para ajuda-lo dou carinho atenção, cozinho pra ele as coisas que ele gosta, e mesmo assim não tenho valor, todos me acham muito bonita e até gravida fiquei mais bonita e ele parece não enxergar!! quando brigamos eu digo a ele para ir embora se quiser, digo a ele vá ser feliz ja que parece estar aqui por obrigação, não se sinta obrigado a nada!! mas ele não vai.... não sei mais como agir com ele, não sei se falta um pouco de desprezo ou uma outra atitude , o que fazer?? a nossa bebe esta chegando e estou triste por essa situação, gostaria de criar minha filha com ele , e formarmos uma família, e dividir as responsabilidades... como agir nessa situação? Muito Obrigada DR. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, pode ser muitas coisas... Desde depressão devido à responsabilidade até mesmo pode estar relacionado a você. Não é tão simples saber o que é. Por vezes, nem mesmo o próprio deve saber. É indicado uma terapia pessoal, e com a necessidade, uma de casal.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...