Birra e Pirraça são Psicopatologias Infantis?

Em atendimentos nesses anos todos de crianças em Centro de Referência Infantil e na Clínica Viver Bem em Macaé-RJ percebe-se um problema muito frequente e perturbador nas famílias: a birra e a pirraça infantis que tiram os pais dos sérios, no plural mesmo.

Muitos pais ao identificarem a birra e a pirraça nos filhos desconsideram esse comportamento da criança como se não fosse genuíno. Pros pais esse comportamento é classificado como ‘frescura’ e rejeitado sem que haja uma leitura mais geral do que pode estar acontecendo. A criança apenas sinaliza com seu comportamento que algo pode não estar indo bem na família, nas relações conjugais, com os pais, etc.


Já escrevi sobre Adoecimento Psicológico InfantilDepressão Infantil e Como Ter Conversas com seu Filho, hoje falaremos da birra e pirraça.

Na verdade a birra e a pirraça podem ser indicativos sim de alguma psicopatologia infantil, principalmente quando o comportamento não for pontual, mas frequente e que atrapalhe a vida da criança e da família. A birra ainda ser indicativo de erros educacionais severos que poderiam estar relacionados ou não com questões psicológicas familiares.

O mimo e a birra devem ser entendidos com o conceito psicológico adequado: baixa tolerância à frustração. E por serem crianças com a autonomia vigiada pelos pais, quando há tolerância baixa à frustração pode haver conflitos com os pais e aí o problema toma vulto.

Já nós, os supostos seres adultos que somos, quando temos dificuldades para tolerar as frustrações nós inventamos escapes, vícios, transtorno de personalidade, comportamentos evasivos, e outras defesas mais que outros adultos não irão ‘se meter’ para dar palpites e criar conflitos.  

Já uma criança com baixa tolerância à frustração vai evidenciar problemas de comportamento pois precisam seguir regras e são controladas por um adulto. Assim, pelo fato de serem crianças, a psicopatologia é mais facilmente identificada do que no adulto com baixa tolerância à frustração.

Essa baixa tolerância à frustração – que em alguns casos gera birra e ou pirraça -, pode ser indicativo de depressão, ansiedade, estresse, TDAH ou Transtorno Opositivo, que por consequência podem ser influenciados grandemente por problemas familiares e ou educativos dos mais diversos.

Assim, é importante para os pais saberem que mimo e ou pirraça não são patologias, mas podem ser indicativos de que algo vai mal sim, obrigado, e que toda atenção é necessária para não prejudicar um pequeno ser que está em desenvolvimento psicológico.

Uma atenção profissional é altamente indicada para que possamos evitar problemas sociais, cognitivos, emocionais e até mesmo de personalidade no futuro.

Cuide de sua prole agora antes que alguma patologia prejudique extensamente a psique de seu filho impedindo um desenvolvimento saudável.

Atitudes educacionais firmes, aumento do afeto para diminuir senso de rejeição familiar, estabelecimento de rotinas claras e diálogo emocional são algumas das ferramentas necessárias para se corrigir o problema e devolver a paz à família.

Logo, Ganhe Tempo: Procure um Psicólogo Infantil!







Imagem retirada de http://www.habbid.com.br/pixelclub/pixelizacao-pixelizacao-kiko-chorando/133166

2 comentários :

  1. Quando tempo devo deixar chorar (choro como expressão de birra) uma criança de menos de dois anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente pergunta. Nessa idade é delicado a atitude de reforço negativo dos pais, que seria ignorar o choro. Porque é uma idade de desenvolvimento da linguagem e de aspectos da personalidade ligados à independência mãe-filho associadas com a linguagem. O ideal é profissional que analisará essa criança fornecer uma orientação específica. No mais, é sempre estar atento ao choro que ainda é essencialmente uma comunicação para essa idade. Ignorar muito pouco, mas de perto, só se tiver certeza de que não há problemas e ou necessidades sendo comunicadas através do choro.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...